August 11, 2008 / 1:00 PM / 9 years ago

RPT-PRÉVIA-Lucro da PETROBRAS deve subir 18% no 2o trimestre

4 Min, DE LEITURA

(Repete matéria veiculada na última sexta-feira)

Por Denise Luna

RIO DE JANEIRO, 8 de agosto (Reuters) - Preços maiores dos seus principais derivados, aliados a maior produção e vendas conjugadas com a disparada do petróleo, devem garantir à Petrobras (PETR4.SA) um lucro quase 18 por cento superior no segundo trimestre do ano comparado ao mesmo período de 2007.

O lucro só não será melhor pelo efeito que a desvalorização do dólar no período terá sobre os ativos e passivos em moeda estrangeira da companhia, avaliaram analistas, citando também o impacto negativo do câmbio sobre as exportações.

O resultado da Petrobras no segundo trimestre do ano será divulgado na próxima segunda-feira, após o fechamento do mercado.

Pesquisa realizada pela Reuters com seis analistas aponta que o lucro da companhia deve atingir na média 7,982 bilhões de reais, contra 6,8 bilhões de reais há um ano, com as previsões dos pesquisados variando em um intervalo entre 7,4 bilhões de reais e 8,2 bilhões de reais.

Já o faturamento da companhia deverá ter incremento mais expressivo, da ordem de 25 por cento na média dos analistas, por se beneficiar diretamente do aumento do preço do petróleo e das vendas maiores.

"Estimamos crescimento de 24,2 por cento no faturamento líquido no comparativo com o mesmo trimestre de 2007, em razão da elevação de 90,4 por cento nas cotações internacionais do petróleo (em um ano), bem como do reajuste da gasolina e do diesel em maio passado", explicou em relatório o analista Nelson Rodrigues de Matos, do BB Investimentos.

Segundo ele, o diesel e a gasolina tiveram aumentos da ordem de 15 e 10 por cento, respectivamente. Os dois combustíveis representam cerca de 50 por cento do faturamento da Petrobras.

Por outro lado, o lucro antes de juros, impostos e amortizações (Ebtida, na sigla em inglês) deve recuar em relação ao trimestre imediatamente anterior, devido a maiores gastos com a importação de óleo leve e derivados (diesel e GLP), bem como pela defasagem dos preços internos do diesel, gasolina e GLP.

O aumento da produção de petróleo e gás natural da Petrobras no período, de 3,6 por cento sobre o mesmo trimestre de 2007, será outro fator positivo para um bom desempenho da estatal.

"A produção da companhia, outra variável chave para o entendimento do faturamento, esteve em 2,386 milhões de barris diários de óleo equivalente por dia no segundo trimestre", afirmou.

Segundo analistas, um resultado em linha ou acima das expectativas do mercado poderá melhorar a performance das ações da companhia, castigadas pela fuga de investidores estrangeiros dos papéis de empresas emergentes.

Por volta das 11h23, as preferenciais da estatal operavam em queda de 0,27 por cento, cotadas a 33,77 reais, enquanto o Ibovespa operava praticamente estável, com alta de 0,02 por cento por cento.

A tabela a seguir mostra as estimativas médias de seis analistas para os resultados trimestrais da Petrobras. Os valores estão em bilhões de reais.

2o TRI 2o TRI 1oTRI VARIAÇÃO

2008 2007 2008 ANUAL Receita líquida 52,3 41,8 46,9 25,1 pct EBITDA 16 14,2 13,8 12,7 pct Margem EBITDA 30,5 33,9 29,4 -340 bps Lucro Líquido 8 6,8 6,9 17,6 pct

Edição de Roberto Samora

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below