11 de Agosto de 2008 / às 16:37 / 9 anos atrás

Sky pede regras novas para atuar na Internet banda larga

Por Taís Fuoco

SÃO PAULO (Reuters) - A autorização da Anatel para que a Sky, segunda maior operadora de TV paga no Brasil, assuma o controle da ITSA Telecomunicações não será suficiente para a estratégia de banda larga da companhia de TV via satélite.

Como não tem Internet de banda larga em seu serviço, um dos segmentos das telecomunicações que mais cresce hoje no país, a Sky encaminhou à agência em março um pedido para assumir o controle da ITSA, que tem licença para atuar na TV paga em 12 cidades pela tecnologia de microondas de rádio (MMDS, na sigla em inglês).

A Sky poderá agregar a Internet em sua oferta por meio da rede sem fio da ITSA, mas o presidente da companhia, Luiz Eduardo Baptista, explicou que não basta o aval da Anatel para a compra, cujo valor não foi revelado.

“Além da autorização, precisamos resolver a questão do regulamento, que diz que hoje o MMDS só pode ser usado para a TV paga”, explicou a jornalistas na abertura do congresso do setor de TV paga nesta segunda-feira.

Baptista afirmou que, se o espectro estiver sendo usado para a TV paga, não terá como incluir a banda larga.

Além disso, na frequência do MMDS ele poderá oferecer Internet pela tecnologia WiMax, mas hoje a Anatel impede que o WiMax tenha mobilidade. “Entendo que essa decisão vai ter de ser revisitada”, acrescentou o executivo em debate no evento.

A ITSA é uma das mais antigas operadoras de TV paga, criada em 1989, quando ainda não existiam sequer licenças para o serviço. Hoje, segundo Baptista, ela tem 40 mil assinantes, além de licença em cidades como Brasília, Vitória, Bauru, Belém e Campina Grande.

UM TERÇO DAS VENDAS

Baptista afirmou que, ainda que não tenha telefonia ou Internet para oferecer em pacotes como fazem hoje as rivais de TV paga que utilizam cabos, a Sky “tem parcerias muito profícuas com TIM, Brasil Telecom e Oi” desde o ano passado.

Segundo ele, as parcerias comerciais para venda em conjunto hoje representam “um terço das vendas” da companhia de TV via satélite.

A Anatel afirmou que terá novas licitações para TV a cabo até o final deste ano, mas Baptista afirmou que a Sky não tem interesse porque “não adianta ter sobreposição de infra-estrutura”.

“A maior parte do território nacional não dá retorno se você colocar uma rede física”, disse. Por isso, opções de redes sem fio, como WiMax, fariam mais sentido, na sua opinião.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below