Mercado vê IPCA abaixo do teto, mas juro vai a 14,75%

segunda-feira, 11 de agosto de 2008 08:50 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - A desaceleração dos índices de preços no início do segundo semestre ajudou a reduzir as projeções de mercado para a inflação em 2008, mas analistas acreditam que o Banco Central vai continuar aumentando o juro para trazer a inflação de volta ao centro da meta já em 2009, mostrou pesquisa divulgada nesta segunda-feira.

De acordo com levantamento semanal do BC, a estimativa para a variação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de 2008 caiu para 6,45 por cento, ante 6,54 por cento na semana anterior.

Para 2009 a projeção foi mantida em 5 por cento.

A meta de inflação para 2008, 2009 e 2010 é de 4,5 por cento, com margem de variação de dois pontos percentuais, para cima ou para baixo.

Em julho, o IPCA registrou alta de 0,53 por cento, segundo informou na semana passada o Instituo Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). No ano, o índice acumula alta de 4,19 por cento. Nos últimos 12 meses, o indicador subiu 6,37 por cento.

Apesar da estimativa mais favorável para a inflação, o patamar ainda é considerado alto, o que justifica a projeção mais elevada para a taxa básica de juro, instrumento utilizado pelo BC para desaquecer a demanda e trazer a inflação de volta ao patamar desejado.

De acordo com o levantamento do BC, os analistas acreditam que o Comitê de Política Monetária (Copom) vai elevar a Selic a 14,75 por cento até dezembro. Até a semana anterior, a projeção era de um juro de 14,50 por cento ao final do ano.

Desde abril, quando o novo ciclo de aperto monetário foi iniciado, o Copom elevou a Selic três vezes seguidas, passando de 11,25 por cento para 13 por cento ao ano.

O Comitê tem mais três reuniões este ano. O próximo encontro acontece em setembro.   Continuação...