PETROBRAS fecha com Shell compra de GNL para 2 terminais

terça-feira, 11 de março de 2008 16:23 BRT
 

RIO DE JANEIRO, 11 de março (Reuters) - A Petrobras (PETR4.SA: Cotações) e a Shell firmaram um acordo de suprimento de gás natural liquefeito (GNL) para abastecer os terminais de regaseificação de Pecém, no Ceará, e na Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro.

O contrato prevê a entrega firme de GNL. Não foi divulgado o volume acertado entre as companhias nem os valores definidos.

"A Petrobras definirá, a cada carregamento, em qual terminal será entregue o GNL", limitou-se a informar a Petrobras em um comunicado nesta terça-feira.

O acordo depende ainda da uma inspeção técnica de segurança dos terminais, informou a estatal.

A Petrobras prevê finalizar em maio a construção dos dois terminais. O terminal do Rio de Janeiro terá capacidade para processar 20 milhões de metros cúbicos por dia de gás natural e o de Pecém, 7 milhões de metros cúbicos por dia.

Uma terceira planta está sendo avaliada pela empresa, que pretende chegar em 2012 com capacidade para colocar no mercado 31,1 milhões de metros cúbicos de gás a partir de GNL.

Segundo comunicado da Petrobras, o acordo com a Shell "atende parte da capacidade de importação da Petrobras e vai compor, junto com os demais acordos em negociação e os Contratos de Termos Gerais já assinados, um portfólio de contratos para atendimento das necessidades de suprimento de gás natural para geração termoelétrica no Brasil".

A introdução do GNL na matriz energética brasileira ocorre devido à impossibilidade do Brasil aumentar imediatamente a importação de gás da Bolívia, ou a produção interna, ao mesmo tempo em que a demanda pelo combustível no país é crescente.

O GNL será utilizado apenas em usinas termelétricas, deixando assim o gás natural importado da Bolívia e o produzido em território nacional para as indústrias, residências e automóveis.

(Reportagem de Denise Luna; Edição de Marcelo Teixeira)