Bovespa encara mau humor externo com discreta baixa

sexta-feira, 11 de julho de 2008 17:43 BRT
 

Por Daniela Machado

SÃO PAULO (Reuters) - O principal índice da Bolsa de Valores de São Paulo resistiu à forte pressão externa em boa parte desta sexta-feira. Ainda que tenha recuado no fechamento, o comportamento do mercado doméstico foi considerado positivo diante do mau humor em Wall Street.

O Ibovespa cedeu 0,17 por cento, para 60.148 pontos, enquanto o Dow Jones e o Standard & Poor's 500 fecharam em baixa de mais de 1 por cento.

Mesmo com a baixa no dia, o Ibovespa subiu 1,3 por cento na semana --o primeiro avanço semanal desde o final de maio.

No pior momento do pregão, o Dow chegou a cair mais de 2 por cento e ser cotado abaixo da marca psicológica dos 11 mil pontos pelo temor de que as agências hipotecárias Freddie Mac e Fannie Mae possam lançar nova onda de turbulência no já abalado setor imobiliário norte-americano.

O índice só melhorou depois que uma fonte afirmou que o chairman do Federal Reserve, Ben Bernanke, vai deixar aberta às agências uma linha emergencial. Após o fechamento, o Fed negou que tenha discutido com Freddie e Fannie acesso aos recursos públicos.

Pela manhã, o Ibovespa subiu 1,3 por cento, num movimento de ajuste após quedas recentes.

"Alguns papéis já atingiram patamares bem baixos e agora encontraram compradores", relatou o operador de uma corretora de grande porte em São Paulo.

Para Américo Reisner, operador da Fator Corretora, a Bovespa esteve "brilhante" se comparada ao estresse internacional. "Entre os destaques do dia estão Petrobras e um pouco das siderúrgicas", citou.   Continuação...