Geórgia pode perder regiões rebeldes, diz enviado russo na Otan

terça-feira, 11 de março de 2008 08:45 BRT
 

MOSCOU (Reuters) - As regiões separatistas da Geórgia, que têm o apoio de Moscou, começarão processo de "secessão real" se a Otan der à Geórgia um sinal de que o país pode se juntar à aliança, disse o embaixador da Rússia na Organização do Tratado do Atlântico Norte terça-feira.

"Assim que a Geórgia obtiver de Washington alguma perspectiva de adesão à Otan, no dia seguinte já começa o processo de secessão real desses dois territórios (Abkházia e Ossétia do Sul)", disse Dmitry Rogozin à Reuters por telefone.

Quando questionado se, com isso, a Rússia reconheceria ou não a independência de Abkházia e Ossétia do Sul, Rogozin disse: "Meu ponto de vista é este: nós não teremos mais argumentos para impedir este processo".

Apesar disso, ele disse que a decisão de reconhecer as duas regiões será da liderança política russa.

Abkházia e Ossétia do Sul se livraram do comando de Tbilisi por meio da luta armada nos anos 1990, mas não têm reconhecimento internacional. O presidente da Geórgia, Mikhail Saakashvili, que tem apoio do Ocidente, diz que elas devem continuar fazendo parte da Geórgia.

As duas regiões redobraram sua campanha pelo reconhecimento depois que Kosovo declarou-se independente da Sérvia. Elas dizem que Kosovo estabeleceu um precedente legal para outras regiões separatistas, um argumento que Moscou apóia.

Respondendo aos comentários de Rogozin, o porta-voz da Otan, James Appathurai, disse que a aliança ainda não se decidiu se oferecerá à Geórgia o Plano de Ação de Associação, o primeiro passo para ligar-se ao grupo.

"Dito isto, os aliados da Otan apóiam totalmente a integridade territorial da Geórgia em todos os cenários possíveis", disse ele.

(Reportagem de David Brunnstrom, em Bruxelas, e Christian Lowe)

REUTERS MR ES