Fed e BCs se juntam para dar liquidez ao mercado

terça-feira, 11 de março de 2008 13:26 BRT
 

Por Glenn Sommerville e Emily Kaiser

WASHINGTON (Reuters) - O Federal Reserve e outros bancos centrais se uniram nesta terça-feira para injetar centenas de bilhões de dólares em recursos nos mercados de crédito, permitindo que as empresas financeiras usem hipotecas como colateral.

As ações dispararam e os preços dos bônus caíram em reação às medidas, em um sinal de que o mercado viu o plano como um remédio efetivo para enfrentar a crise que tem ameaçado o crescimento global.

Os bancos centrais que anunciaram o plano são o Fed, o Banco do Canadá, o Banco da Inglaterra, o Banco Central Europeu (BCE) e o Banco Nacional da Suíça.

"No curto prazo, o Fed e os outros bancos centrais deram o que todos precisavam, e isso é dinheiro", disse Martin Blum, diretor de pesquisa sobre mercados emergentes da UniCredit, em Viena. "As medidas... lidam com essa questão ao tornar mais fácil para os bancos tomar dinheiro."

O Fed ampliou seu programa de financiamento, oferecendo até 200 bilhões de dólares em ativos do Tesouro, de alta liquidez, aos dealers primários, com garantia de 28 dias. O montante de dinheiro oferecido expande de forma significativa o tipo de títulos hipotecários que podem ser usados como colateral.

Com isso, o plano permite que as notas hipotecárias, sem aceitação no mercado, sejam trocadas por títulos que podem ser vendidos facilmente.

As medidas foram tomadas após o anúncio do Fed, na sexta-feira, de que ampliaria os leilões de dinheiro de curto prazo para 100 bilhões de dólares em março e de que lançaria uma série de acordos de recompra com valor estimado de 100 bilhões de dólares. Assim, o valor total das ações recentes chega a 400 bilhões de dólares.

Como parte das últimas medidas, o BCE informou que fará um leilão de até 15 bilhões de dólares por um prazo de 28 dias. O Banco Nacional na Suíça injetará 6 bilhões de dólares, e o Banco do Canadá vai fornecer 4 bilhões de dólares canadenses.   Continuação...