Monsanto prevê oferta justa de glifosato para a safra 2008/09

terça-feira, 11 de março de 2008 14:10 BRT
 

Por Roberto Samora

SÃO PAULO, 11 de março (Reuters) - A Monsanto (MON.N: Cotações) prevê uma oferta apertada do agroquímico glifosato na próxima safra do Brasil (2008/09), com o crescimento da demanda para o plantio de soja transgênica em meio a problemas na produção da China, o principal fornecedor do produto importado.

"Entendemos que vai ser um ano de oferta e demanda equilibrada, vai depender muito dos chineses", declarou Paulo Cau, diretor da Monsanto no Brasil para negócios envolvendo a tecnologia Roundup, em entrevista à Reuters no intervalo de um evento em São Paulo na noite de segunda-feira.

Durante o evento, ele havia falado ainda que a empresa "está se esforçando para aumentar a sua capacidade de produção no Brasil, para atender um mercado que era atendido pela China".

De acordo com Cau, o mercado "está restritivo" mundialmente, pois a China está endurecendo regras ambientais para a produção do glifosato.

Cerca de 70 por cento do glifosato consumido no Brasil na safra 07/08 foi produzido localmente, e o restante vem da China, segundo o diretor.

Ele lembrou ainda durante a palestra que a situação de mercado elevou o custo do produto na China para 14 dólares por quilo, ante 3 dólares no início de 2007 --dessa forma o produto chinês chegaria ao Brasil a valores mais elevados do que o produzido no país.

Em entrevista, Cau evitou comentar valores no Brasil, onde os preços do produto também estão em alta, com o crescimento do plantio de soja transgênica.

O glifosato, em geral, é utilizado para dessecar as lavouras de inverno antes do plantio da safra de verão e também depois da germinação da soja transgênica.   Continuação...