Presidente de Timor Leste é baleado em ataque rebelde

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2008 09:53 BRST
 

Por Tito Belo

DILI (Reuters) - O presidente de Timor Leste, José Ramos-Horta, foi gravemente ferido ao ser baleado na segunda-feira dentro de sua casa em Dili por soldados rebeldes. O primeiro-ministro do país, Xanana Gusmão, escapou ileso de outro atentado e analistas prevêem uma nova fase de violência e instabilidade na pequena ex-colônia portuguesa no Sudeste Asiático.

A Austrália prometeu enviar mais soldados ao país, independente desde 2002.

Moradores disseram que a capital, Dili, está aparentemente tranqüila. Segundo Gusmão, Ramos-Horta está em condição estável. O líder rebelde Alfredo Reinaldo foi morto durante o ataque.

O presidente, que dividiu o Prêmio Nobel da Paz de 1996 com o bispo Carlos Belo, é um dos maiores símbolos da luta não-violenta dos timorenses contra a ocupação indonésia que durou mais de 20 anos. Ramos-Horta foi operado por médicos militares australianos em Dili e transferido em seguida para um hospital em Darwin, no norte da Austrália.

"Esta é uma séria tentativa [de golpe] contra um Estado democrático", disse Gusmão em entrevista coletiva. Ele anunciou posteriormente que pediu a Vicente Guterres, vice-presidente do Parlamento e presidente interino do país, que imponha um toque de recolher noturno na capital.

Uma fonte médica australiana disse que Ramos-Horta chegou a Darwin respirando por aparelhos e em coma induzido e que ainda deveria ser submetido a duas cirurgias.

"Ele tem ferimentos no abdome e na parte de baixo do peito. São ferimentos muito graves, particularmente a lesão no peito é extremamente séria", disse à Reuters Len Notaras, gerente-geral do Real Hospital de Darwin.

"Ele teve vasos sanguíneos danificados no peito, eles foram reparados em Timor, e vamos reparar e limpar mais", disse o diretor, acrescentando que será necessária uma grande cirurgia também no pulmão direito.   Continuação...