FMI vê forte desaceleração nos EUA e busca ajuda global

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2008 13:11 BRST
 

Por V. Ramakrishnan e Anurag Joshi

MUMBAI (Reuters) - A desaceleração econômica nos Estados Unidos será significativa e vai durar algum tempo, avaliou o Fundo Monetário Internacional (FMI) nesta segunda-feira, pedindo uma resposta coordenada à turbulência financeira global.

Embora ainda seja incerto quanto a crise vai durar, os complexos elos financeiros entre as regiões podem significar que economias emergentes também podem ser afetadas caso a situação piore, disse o diretor-gerente do Fundo, Dominique Strauss-Kah, em um discurso.

As incertezas incluem uma possível piora do setor imobiliário norte-americano e mais perdas em bancos europeus por conta da turbulência nos mercados.

"O problema é que hoje temos incertezas desconhecidas", afirmou ao iniciar uma visita de três dias à Índia.

No mês passado, o FMI cortou sua previsão para o crescimento mundial neste ano e alertou que a atividade econômica pode se enfraquecer ainda mais.

A projeção caiu de 4,4 para 4,1 por cento.

"Para os EUA pelo menos, a desaceleração será significativa e vai durar algum tempo", acrescentou Strauss-Kahn. "Não há como escapar de um longo período de desaquecimento no crescimento."

SOLUÇÕES GLOBAIS

Ele afirmou que é preciso encontrar soluções globais para a turbulência nos mercados financeiros e que há sinais de coordenação entre o Federal Reserve e o Banco Central Europeu (BCE).

"Estamos em um mundo globalizado e os problemas globais exigem soluções globais... Não estou dizendo que precisa ser hoje. O que estou dizendo é que todos precisam se preparar para algo que precisa ser coordenado porque não há resposta local para um problema global."