Presidente uruguaio faz mudanças pré-eleitorais em gabinete

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2008 17:51 BRST
 

MONTEVIDÉU (Reuters) - O presidente uruguaio, Tabaré Vázquez, disse nesta segunda-feira estar substituindo metade do gabinete, para que as atividades partidárias dos ministros antes das eleições gerais de 2009 não "contaminem" o trabalho do governo.

As mudanças podem ter implicações nas conturbadas relações do Uruguai com a Argentina e em seus laços geralmente amigáveis com os Estados Unidos.

Vázquez substituiu o ministro das Relações Exteriores, Reinaldo Gargano, que foi criticado pela oposição por se recusar a avançar com as negociações comerciais com os EUA e não tomar mais ações para consertar os laços com a Argentina, cujas relações foram afetadas por conta da construção de uma fábrica de celulose na fronteira entre os dois países.

Gargano será substituído por Gonzalo Fernández, atual secretário da Presidência, muito próximo a Vazquez e que foi chamado no passado para ajudar em conversas com os EUA e a Argentina.

"O sistema político do Uruguai está se dirigindo para uma fase eleitoral, o que significa que jogadores políticos fundamentais no governo terão afazeres partidários sem contaminar o trabalho do governo", afirmou Vazquez a repórteres.

Do total de 13 ministros, Vazquez mudou Defesa, Educação, Habitação e Meio-Ambiente, Agricultura e Pecuária, Indústria, assim como Relações Exteriores. Os novos ministros tomam posse em 1o de março.

A imprensa local tem relatado que o ministro da Economia, Danilo Astori, pode deixar o cargo na metade do ano para concorrer à Presidência. (Reportagem de Conrado Hornos)