Com anúncio do PIB, funcionários do IBGE querem fim de mal-estar

quarta-feira, 12 de março de 2008 14:40 BRT
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Técnicos e economistas do IBGE tiveram mais um motivo para comemorar o bom resultado do PIB do país divulgado nesta quarta-feira: com ele, deve chegar ao fim o mal-estar causado por prognósticos do ministro da Fazenda feitos na semana passada.

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística informou que a economia brasileira cresceu 5,4 por cento em 2007. Na semana passada, o ministro Guido Mantega havia antecipado que o crescimento ficou entre 5,2 e 5,3 por cento.

A indicação gerou incômodo no instituto e uma enxurrada de ligações cobrando explicações do órgão, que foi obrigado a soltar uma nota oficial.

"Foi um mal-estar danado... Colocou em dúvida a preservação das informações, mas garanto que ele (Mantega) não sabia de nada", afirmou um funcionário do IBGE, que pediu para não ser identificado.

Os técnicos envolvidos na divulgação do PIB já estão adotando novos procedimentos para evitar comentários que possam colocar em dúvida o sigilo sobre os resultados. "Já ficou decidido que na véspera da decisão do PIB a gente não fala com jornalista, Fazenda ou Planejamento", acrescentou o funcionário.

O órgão é obrigado a enviar duas horas antes da divulgação pública os dados de suas pesquisas conjunturais para a equipe econômica do governo.

No fim de 2007, uma suspeita de vazamento de informações sobre o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) já tinha causado desconforto no IBGE. Na ocasião, os dados eram repassados ao governo na véspera das divulgações.

(Por Rodrigo Viga Gaier)