Chávez acusa Uribe de querer provocar guerra

segunda-feira, 12 de maio de 2008 07:50 BRT
 

CARACAS (Reuters) - O presidente venezuelano, Hugo Chávez, acusou no domingo o governo da Colômbia de provocá-lo para iniciar uma guerra e exigiu que seu colega colombiano, Alvaro Uribe, apresente verdadeiras provas contra ele em vez de "documentos imbecis".

Pouco antes, Chávez descartou ter vínculos com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), segundo supostos arquivos de computadores encontrados em um acampamento guerrilheiro e acusou Bogotá de se prestar a ataques "imperialistas".

Vazamentos à imprensa de supostos arquivos dos computadores encontrados no acampamento onde morreu o dirigente da guerrilha Raúl Reyes durante uma incursão militar colombiana no Equador, indicam que existem vínculos profundos entre Chávez e as Farc.

"O governo da Colômbia é capaz, assim digo, é capaz de provocar uma guerra com a Venezuela para tratar de justificar a intervenção dos Estados Unidos na Venezuela", afirmou Chávez, que chamou Uribe de "mentiroso" e o acusou de liderar um "narcogoverno" de direita.

Ao mesmo tempo, ele sugeriu ao líder guerrilheiro Manuel Marulanda abandonar a luta armada, apesar de repetir que o governo colombiano não tem desejo sincero de paz.

"(Marulanda), não venha me pedir fuzis nem nada, não, não, não (...) por que vocês não consideram antes disso deixar as armas?", disse.

Chávez disse que a Venezuela está preparada para se defender, apesar de dizer que não deseja uma guerra, e convidou Uribe a pensar sobre o assunto.

(Por Patricia Rondón Espín)