G7 quer que FMI considere corte de custos, afirma Alemanha

sexta-feira, 12 de outubro de 2007 14:40 BRT
 

BERLIM (Reuters) - O Grupo dos Sete países mais industrializados (G7) instou o Fundo Monetário Internacional (FMI) a considerar redução de custos como parte de uma reforma, afirmou o representante da Alemanha no G7 na sexta-feira.

"Com esse propósito, eu enviei uma carta ao G7 com um pedido para que a gerência do FMI também considere a possibilidade de fazer mudanças nos gastos", afirmou a jornalistas o vice-ministro de Finanças da Alemanha, .

Vendas de ouro têm sido defendidas para ajudar o Fundo, e Mirow disse que a Alemanha ainda não definiu sua posição sobre isso.

Ele não espera um acordo final sobre a reforma do sistema de cotas do FMI no encontro de Washington, na próxima semana, mas afirmou que a conclusão da reforma ainda está planejada para o início de 2008.

O processo de atualização da divisão de votos no FMI foi lançado no ano passado com pouco aumento no poder de voto de quatro países --China, Turquia, México e Coréia do Sul.

Mas países como Índia e Brasil reclamaram que o ajuste inicial não foi suficiente.

(Por Dave Graham e Gernot Heller)