ANÁLISE-VALE deve insistir na compra da Xstrata, mas com cautela

terça-feira, 12 de fevereiro de 2008 17:18 BRST
 

Por Denise Luna

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A Vale deverá continuar as negociações para compra da anglo-suiça Xstrata, mas ainda é cedo para saber até que ponto a empresa brasileira ousaria para ficar com um dos ativos do setor disponíveis no mundo que mais se adequa ao seu perfil no momento.

Segundo analistas que acompanham a Vale, uma eventual recusa dos acionistas da Xstrata a uma oferta de 76 bilhões de dólares pela Vale --que teria sido feita informalmente, segundo o Financial Times nesta terça-feira-- não deve atrapalhar as negociações. A Vale não quis comentar o assunto.

"Se não houve consenso sobre o valor, devem estar em entendimento. Enquanto não houver um valor divulgado oficialmente pela empresa a gente fica muito no campo da especulação", avaliou Pedro Galdi, analista do ABN Amro.

Ele observou que a Vale tem como principal preocupação uma possível perda do grau de investimento, conquistado pela primeira vez em 2005, o que aumentaria o custo dos empréstimos no médio prazo para comprar a Xstrata.

"O empréstimo-ponte ela (Vale) consegue agora, mas para alongar mais à frente, com taxas atrativas, ela não consegue", explicou. "Mas como o pessoal da Vale é muito pé no chão, vão tentar o modelo mais interessante possível sem perder a condição de 'investment grade"', completou.

No final de janeiro, a Vale confirmou que tinha interesse em adquirir a Xstrata. Segundo analistas na época, o valor do negócio poderia atingir 100 bilhões de dólares, sendo parte em ações da Vale.

A Vale já teria conseguido um empréstimo-ponte de 50 bilhões de dólares com um 'pool' de bancos, segundo disse à Reuters uma fonte próxima ao assunto há duas semanas. A mesma fonte disse que havia muita disposição da empresa em adquirir a Xstrata, que "seria perfeita para a companhia devido à sua grande diversificação".

DIVERSIFICAÇÃO   Continuação...