Lula diz não temer CPI de cartões e cobra respeito à Presidência

terça-feira, 12 de fevereiro de 2008 20:38 BRST
 

MACAPÁ (Reuters) - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva cobrou respeito à Presidência da República como instituição e defendeu que gastos com segurança não sejam revelados publicamente.

Em entrevista a jornalistas antes de embarcar para Brasília após encontro com o presidente Nicolas Sarkozy, na Guiana Francesa, Lula afirmou que não se incomoda com a CPI mista para investigar mau uso do cartão de crédito corporativo.

"Só tem um gasto que não deve ser detalhado. É o gasto com segurança. É uma questão de Estado", defendeu Lula.

Indagado sobre os gastos da presidência, Lula não gostou da pergunta e encerrou a coletiva.

"A Presidência é uma instituição e as pessoas tem que aprender a respeitá-la", respondeu antes de se retirar.

Antes, Lula afirmou que o cartão corporativo "é a forma mais séria e mais transparente de cuidar dos gastos públicos", e responsabilizou a oposição pelo barulho em torno dos gastos.

"Tem uma parte da oposição que fica sempre torcendo para as coisa não darem certo, porque se derem errado, acham que vão ganhar no processo eleitoral", afirmou.

A CPI mista do Congresso foi acertada entre governo e oposição, abrangendo os governos de Lula e de Fernando Henrique Cardoso. Houve um acordo para que as investigações não detalhem os gastos dos presidentes da República e de suas famílias. Lula acredita que a CPI não vai atrapalhar as votações no Congresso.

"Nada atrapalha, tudo está a favor do Brasil. Se Deus está conosco, quem pode estar contra nós?".

(Reportagem de Raymond Colitt; Edição de Mair Pena Neto)