GERDAU investe US$835 mi para instalar laminadores em MG

segunda-feira, 12 de maio de 2008 14:46 BRT
 

Por Alberto Alerigi Jr.

SÃO PAULO, 12 de maio (Reuters) - O grupo siderúrgico Gerdau (GGBR4.SA: Cotações) inaugura no segundo semestre de 2010 dois laminadores em sua unidade mineira Açominas que farão com que a companhia entre no segmento de aços planos no Brasil ao lado de Usiminas (USIM5.SA: Cotações) e Companhia Siderúrgica Nacional (CSNA3.SA: Cotações).

A Gerdau, maior fabricante de aços longos das Américas, investirá 835 milhões de dólares na instalação na unidade Açominas de um laminador de chapas grossas com foco no setor de construção e em um laminador de perfis médios, ambos destinados a atender demanda doméstica.

O laminador de chapas grossas terá capacidade para produzir 870 mil toneladas por ano e o laminador de perfis médios, 650 mil toneladas anuais. Os planos da companhia para a ampliação do conjunto de produtos foram anunciados em dezembro do ano passado, mas a conclusão dos estudos e a decisão da localização dos equipamentos aconteceram agora.

As chapas grossas são utilizadas em construção civil, na indústria de equipamentos pesados e, em especial, na produção de tubos com costura de média e grande dimensão (gasodutos para indústria petroquímica e minerodutos, por exemplo) e na indústria naval, informou a Gerdau.

Os perfis médios complementam a linha de perfis estruturais já produzida pela unidade e são destinados às indústrias de construção civil, máquinas e equipamentos, estruturas metálicas, construção mecânica e naval.

As ações da Gerdau subiam 1,02 por cento às 14h33, enquanto isso, o Ibovespa subia 0,48 por cento. A Gerdau anunciou nesta segunda-feira resultados de primeiro trimestre, com queda de 7,5 por cento no lucro líquido na comparação com o mesmo período de 2007. Para mais informações clique [ID:nN12259592].

Segundo o vice-presidente de finanças da companhia, Osvaldo Schirmer, a Gerdau tem reservas de minério de ferro de 1,8 bilhão de toneladas na região do Quadrilátero Ferrífero, em Minas Gerais, onde fica a Açominas.

Em 2010, até 80 por cento do consumo da commodity pela companhia no Brasil virá dessas reservas próprias, algo como 6 a 7 milhões de toneladas anuais, informou o executivo. Atualmente o índice está em 30 por cento.   Continuação...