Bernardo: Política industrial poderá exigir corte de despesas

segunda-feira, 12 de maio de 2008 15:23 BRT
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O governo poderá ter de promover cortes de despesas orçamentárias para absorver a renúncia fiscal concedida à indústria no programa de política industrial divulgado neta segunda-feira, afirmou o ministro do Planejamento, Paulo Bernardo.

"Vamos ter que refazer contas, se necessário vamos ter que fazer cortes e adequações nas despesas", disse Paulo Bernardo a jornalistas.

Ele argumentou, contudo, que a expectativa do governo é que as medidas contribuam para estimular o crescimento econômico, o que acabaria se desdobrando em maior arrecadação de impostos.

O governo anunciou nesta manhã um conjunto de medidas para estimular a produção industrial e as exportações. Elas envolvem uma renúncia fiscal de 21,4 bilhões de reais.

"O governo está fazendo esta aposta da desoneração imaginando que isso vai ter um reflexo no crescimento da economia", disse Bernardo. "Todas as desonerações que nós fizemos nos anos anteriores, são mais de 30 bilhões de reais, acabaram se transformando em aumento da receita."

(Reportagem de Rodrigo Gaier)