JURO-Projeções queimam "gordura" acumulada e fecham em baixa

segunda-feira, 12 de maio de 2008 16:12 BRT
 

SÃO PAULO, 12 de maio (Reuters) - As projeções de juros fecharam em baixa nesta segunda-feira, devolvendo parte dos ganhos recentes em meio a notícias sobre a discussão de um possível incremento no aperto fiscal e depois de uma ligeira melhora nas expectativas inflacionárias para 2009.

O contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) janeiro de 2009, o mais negociado nesta sessão, recuou de 13,12 por cento para 13,03 por cento. O DI janeiro de 2010 caiu de 14,31 por cento para 14,22 por cento.

Nos últimos dias, a divulgação de dados de inflação muito acima do esperado havia pressionado as taxas, indicando um ciclo mais agressivo de aperto monetário por parte do BC.

"(O mercado) exagerou muito na semana passada. Foi para números aparentemente sem sentido e deu uma recuada até ter novos dados", disse Carlos Cintra, gerente de renda fixa do banco Prosper, no Rio de Janeiro.

O único indicador de inflação divulgado desta segunda-feira até mostrou aceleração dos preços. O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) subiu 0,68 por cento na primeira quadrissemana de maio, contra 0,54 por cento em abril.

Mas o mercado preferiu focar nas notícias publicadas no fim de semana sobre a discussão do governo acerca do aumento do superávit primário. "Isso é bastante positivo", disse Cintra.

"Só não sei se o mercado acredita muito. Pelo menos, a princípio, vai ter que provar que vai fazer isso", ponderou.

Segundo as notícias publicadas por jornais, o aumento do superávit seria usado para financiar o fundo soberano criado pelo governo nesta segunda-feira.

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse nesta tarde que a principal fonte de financiamento do fundo será o superávit primário. Ele disse que explicará detalhes sobre o fundo em entrevista coletiva na terça-feira.   Continuação...