Vôos para o exterior da Aerolíneas Argentinas são paralisados

sábado, 12 de janeiro de 2008 16:38 BRST
 

BUENOS AIRES (Reuters) - Os vôos para o exterior da Aerolíneas Argentinas voltaram a ser interrompidos neste sábado por um protesto sindical, após umas poucas partidas pela manhã, um dia depois de grandes cancelamentos que levaram a diversas reclamações no Aeroporto de Ezeiza.

Funcionários da empresa argentina trabalhavam na reprogramação dos vôos, quando uma nova medida do sindicato paralisou os trabalhos à espera de negociações.

Nenhum porta-voz da companhia ou do sindicato explicou os motivos dos novos cancelamentos e da greve imprevista.

Dezenas de passageiros demonstravam seus problemas no aeroporto para a imprensa, que calculou que cerca de 3 mil passageiros enfrentavam problemas.

Os atrasos da sexta-feira e os cancelamentos posteriores fizeram com que muitos passageiros passassem a noite no aeroporto, localizado a uns 30 quilômetros ao sul da Grande Buenos Aires.

As demoras originais nos vôos foram causadas por uma greve dos funcionários da empresa que faz o carregamento das bagagens.

O maior problema surgiu quando uma pessoa agrediu verbalmente uma funcionária da companhia aérea na sexta-feira, o que provocou um abandono de seus postos dos trabalhadores que faziam o registro de passageiros no embarque.

As dificuldades e cancelamentos não prejudicaram os vôos nacionais da empresa, que tem o controle quase total do mercado interno.

A Aerolíneas Argentinas é controlada em 95 por cento pelo grupo espanhol Marsans. O restante pertence à Argentina.

(Reportagem de Jorge Otaola)