12 de Novembro de 2007 / às 09:55 / 10 anos atrás

RPT-Lucro da PETROBRAS cai 22% e empresa culpa câmbio

(Repete texto publicado na noite de sexta-feira)

Por Denise Luna

RIO DE JANEIRO, 12 de novembro (Reuters) - A Petrobras (PETR4.SA) registrou lucro líquido de 5,53 bilhões de reais no terceiro trimestre do ano, valor 22 por cento menor que o de igual período do ano passado, devido à valorização do real ante o dólar e a contribuições para o fundo de pensão Petros.

O resultado ficou longe da estimativa média de seis analistas ouvidos pela Reuters, que previam lucro de 7,3 bilhões de reais, ligeiramente maior que no terceiro trimestre de 2006.

O lucro antes de juros, impostos, amortização e depreciação, conhecido pela sigla em inglês Ebitda, subiu para 13,06 bilhões de reais, contra os 12,9 bilhões de reais no terceiro trimestre de 2006. Analistas também esperavam um Ebitda maior, em cerca de 14,4 bilhões de reais.

Em comunicado enviado ao mercado, a Petrobras informou que a queda do lucro trimestral ocorreu "em decorrência da perda cambial sobre ativos líquidos denominados em dólar, reflexo da apreciação do real, do menor provisionamento de juros sobre capital próprio e dos gastos vinculados à repactuação de cláusulas do regulamento do plano de pensão".

A contribuição não-recorrente para o fundo de pensão Petros era conhecida pelo mercado, que ainda assim esperava por um leve aumento do lucro.

"No trimestre, principalmente, temos grande efeito da variação do real. Nós temos investimento no exterior, são ativos em dólar, e quando mede o valor em real reflete perda na área financeira da companhia", afirmou a jornalistas Almir Barbassa, diretor financeiro da Petrobras.

Segundo ele, a perda cambial no trimestre foi de 900 milhões de reais e no ano já acumula 2 bilhões de reais.

"A redução do lucro líquido foi em função de dois fatores principais não recorrentes. O acordo com a Petros no início do ano e a variação cambial no trimestre", afirmou.

A queda do dólar pela Ptax (média ponderada apurada pelo Banco Central) no trimestre de julho a setembro foi de 4,5 por cento.

PRODUÇÃO SOBE UM POUCO

A empresa anunciou na véspera a existência de uma reserva gigante de petróleo e gás na camada pré-sal do campo de Tupi, da bacia de Santos, notícia que elevou fortemente suas ações.

A produção de petróleo da empresa na média dos nove primeiros meses está em 1,79 milhão de barris por dia, 2 por cento acima da média em igual período do ano passado.

"O crescimento esperado de nossa produção tem sido afetado em função de alguns problemas operacionais", afirmou o presidente da empresa, José Sergio Gabrielli, no comunicado.

"Entretanto, estamos esperando o início da operação de diversas unidades no Brasil, que deverão adicionar 460 mil barris por dia de capacidade de produção ao longo de 2008", afirmou.

As plataformas que entrarão em operação em breve são a P-52, a FPSO Cidade de Vitória e a P-54.

"Quando as três plataformas que estão programadas para entrar em operação nesse ano atingirem produção máxima de seis a oito meses, a Petrobras terá redução de custo de produção de meio dólar por barril", afirmou Francisco Nepomuceno, gerente de exploração e produção.

A receita operacional líquida da Petrobras no terceiro trimestre teve leve aumento de 3 por cento ante 2006, para 44,4 bilhões de reais.

Com os dados desta sexta-feira, o lucro líquido da empresa nos nove primeiro meses do ano soma 16,45 bilhões de reais, montante 21 por cento menor que o registrado de janeiro a setembro do ano passado.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below