Crescimento chinês terá leve desaceleração no 4o tri--instituto

segunda-feira, 12 de novembro de 2007 12:49 BRST
 

PEQUIM, 12 de novembro (Reuters) - O crescimento econômico da China provavelmente desacelerará para 11,2 por cento no quarto trimestre, ante a taxa de 11,5 por cento apurada nos três meses anteriores, ambas em relação a igual período do ano passado, afirmou nesta segunda-feira um instituto de pesquisa do governo.

O Centro Estatal de Informação disse ao jornal oficial China Securities Journal que a inflação ao consumidor, também na comparação anual, provavelmente alcançará 5,9 por cento no último trimestre, ante os 4,1 por cento de alta acumulados nos primeiros nove meses do ano.

Isso representaria uma desaceleração moderada sobre os últimos meses. Em setembro, a inflação foi de 6,2 por cento, abaixo da maior taxa em uma década, de 6,5 por cento, vista em agosto. Economistas ouvidos pela Reuters prevêem que os maiores custos de alimentos elevem a inflação para 6,4 por cento em outubro.

O centro alertou que a inflação não deve desacelerar no curto prazo, em razão da pressão dos laticínios e frutos do mar.

"Se o rápido aumento dos preços não for controlado, a atual situação pode intensificar as expectativas inflacionárias, tornando a inflação um fenômeno de longo prazo", disse o instituto.

O banco central chinês prevê para o ano de 2007 uma expansão econômica acima de 11 por cento e uma inflação de 4,5 por cento.

(Jason Subler e Zhou Xin; edição em português 5511 5644 7729))

REUTERS VS JS