Força da economia impulsiona popularidade de Lula

quarta-feira, 12 de dezembro de 2007 15:09 BRST
 

BRASÍLIA (Reuters) - A taxa de aprovação do presidente Luiz Inácio Lula da Silva se recuperou em dezembro, já que o forte ritmo da atividade econômica garantiu uma melhora no padrão de vida e das perspectivas de emprego no país, mostrou uma pesquisa Ibope encomendada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) na quarta-feira.

Em dezembro, 51 por cento avaliaram que o governo Lula está fazendo um trabalho bom ou ótimo --número maior que os 48 por cento de setembro. É a maior popularidade do presidente em um ano e a segunda maior desde que ele assumiu o cargo, em janeiro de 2003.

A recuperação se deve a uma melhoria geral no padrão de vida e das perspectivas maiores para obtenção de emprego, disse Marco Antonio Guarita, diretor da CNI. "As pessoas estão mais otimistas com a economia", afirmou Guarita em entrevista coletiva em Brasília.

Metade dos ouvidos afirmou que vive melhor do que há dois anos, mostrou a pesquisa do Ibope.

A economia cresceu 5,7 por cento no terceiro trimestre em relação ao mesmo período do ano passado, de acordo com dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quarta-feira.

Entre os pontos de melhora nas expectativas está a queda do número de pessoas que acredita que a inflação vai aumentar --de 52 para 49 por cento-- e dos que crêem que o desemprego vai crescer --de 52 para 46 por cento.

A avaliação ruim ou péssima do governo oscilou para 17 por cento em dezembro ante 18 por cento em setembro. A margem de erro da pesquisa é de 2 pontos percentuais.

A confiança no presidente Lula permaneceu elevada, em 60 por cento, enquanto a nota média do governo também seguiu inalterada, em 6,6.

O Ibope entrevistou 2.002 pessoas em 141 municípios do país, entre os dias 30 de novembro e 5 de dezembro.

(Reportagem de Raymond Colitt)