Novo presidente do Senado diz que Senado vive "trauma"

quarta-feira, 12 de dezembro de 2007 14:31 BRST
 

BRASÍLIA (Reuters) - Candidato único de um Senado fragilizado por denúncias, o senador Garibaldi Alves Filho (PMDB-RN) foi eleito nesta quarta-feira para a presidência da Casa. No discurso de posse, ele afirmou que trabalhará para elevar a imagem do Senado.

O ex-governador do Rio Grande do Norte, de 60 anos, teve a preferência de 68 senadores, enquanto 8 votaram de forma contrária, com duas abstenções. Garibaldi, que terá mandato até o começo de 2009, deve presidir em seguida a sessão que decidirá o futuro da CPMF, questão-chave para o governo Lula.

"Vou ser presidente do Senado, e o Senado tem governo e oposição. Vou procurar equilibrar esse trabalho para que nenhum possa se sentir frustrado durante minha gestão, tenho que dar condições de trabalho tanto ao governo quanto à oposição", declarou em seu discurso de posse.

Ele mencionou o "momento de trauma" por que passa o Senado e disse que vai atuar para recuperar a imagem da Casa, em uma menção aos escândalos que atingiram o senador Renan Calheiros (PMDB-AL) desde maio.

"O momento é de trauma, mas também de renovação da fé na força democrática desta Casa", afirmou Garibaldi, que substituiu Renan após sua renúcia ao comando da Casa na semana passada.

Com 20 senadores, o PMDB tem a maior bancada e a prerrogativa que lhe garante a indicação do presidente do Senado.

Relator da CPI dos Bingos, apelidada pelos governistas de CPI do Fim do Mundo, Garibaldi contava com restrições do Palácio do Planalto.

(Reportagem de Renata de Freitas)

 
<p>Candidato &uacute;nico de um Senado fragilizado por den&uacute;ncias, o senador Garibaldi Alves Filho (PMDB-RN) foi eleito para a presid&ecirc;ncia da Casa. No discurso de posse, ele afirmou que trabalhar&aacute; para elevar a imagem do Senado. Foto de Garibaldi em Bras&iacute;lia, 12 de dezembro. Photo by Jamil Bittar</p>