Para Oscar Niemeyer, "100 anos é uma bobagem"

quarta-feira, 12 de dezembro de 2007 18:40 BRST
 

RIO DE JANEIRO, 12 de dezembro (Reuters) - O arquiteto carioca Oscar Niemeyer, prestes a completar 100 anos, disse nesta quarta-feira que o centenário é uma bobagem e que, ao olhar para trás, vê que não fez concessões e seguiu um bom caminho.

"Cem anos é uma bobagem, depois dos 70 a gente começa a se despedir dos amigos. O que vale é a vida inteira, cada minuto também, e acho que passei bem por ela", disse Niemeyer, ao receber uma homenagem da embaixada da França em seu escritório em Copacabana.

"Quando olho para trás vejo que não fiz concessões e que segui o bom caminho. Isso é que dá uma certa tranquilidade."

Niemeyer, que completa 100 anos no sábado, fez diversos elogios à França, país no qual viveu durante a ditadura militar no Brasil a partir dos anos 1960.

"Se eu sair um dia do Brasil, é em Paris que eu vou ficar", disse Niemeyer a jornalistas, arrematando em francês: "É fantástica a vida."

Para ele, França é um país amigo e os franceses, solidários. "É um povo que eu admiro, inteligente, pró a qualquer movimento de defesa do país. É um país fantástico."

O carioca, que chegou a abrir um escritório em 1972 na Champs Elysées, famosa avenida de Paris, projetou diversos prédios importantes no país, como a Bolsa de Trabalho de Bobygny e o Centro Cultural Le Havre.

Para ele, no entanto, o mais marcante foi a sede do Partido Comunista Francês, em meados dos anos 1960. "Lembro com tanto prazer, eles (do partido) foram tão solidários comigo o tempo todo, me ajudando, me levando para um lado e pro outro. Foi muito bom", disse.

O embaixador francês M. Antoine Pouillieute disse que a homenagem, uma medalha, era pelo aniversário de Niemeyer e também pelo conjunto de sua obra.   Continuação...