12 de Dezembro de 2007 / às 20:43 / 10 anos atrás

Para Oscar Niemeyer, "100 anos é uma bobagem"

RIO DE JANEIRO, 12 de dezembro (Reuters) - O arquiteto carioca Oscar Niemeyer, prestes a completar 100 anos, disse nesta quarta-feira que o centenário é uma bobagem e que, ao olhar para trás, vê que não fez concessões e seguiu um bom caminho.

“Cem anos é uma bobagem, depois dos 70 a gente começa a se despedir dos amigos. O que vale é a vida inteira, cada minuto também, e acho que passei bem por ela”, disse Niemeyer, ao receber uma homenagem da embaixada da França em seu escritório em Copacabana.

“Quando olho para trás vejo que não fiz concessões e que segui o bom caminho. Isso é que dá uma certa tranquilidade.”

Niemeyer, que completa 100 anos no sábado, fez diversos elogios à França, país no qual viveu durante a ditadura militar no Brasil a partir dos anos 1960.

“Se eu sair um dia do Brasil, é em Paris que eu vou ficar”, disse Niemeyer a jornalistas, arrematando em francês: “É fantástica a vida.”

Para ele, França é um país amigo e os franceses, solidários. “É um povo que eu admiro, inteligente, pró a qualquer movimento de defesa do país. É um país fantástico.”

O carioca, que chegou a abrir um escritório em 1972 na Champs Elysées, famosa avenida de Paris, projetou diversos prédios importantes no país, como a Bolsa de Trabalho de Bobygny e o Centro Cultural Le Havre.

Para ele, no entanto, o mais marcante foi a sede do Partido Comunista Francês, em meados dos anos 1960. “Lembro com tanto prazer, eles (do partido) foram tão solidários comigo o tempo todo, me ajudando, me levando para um lado e pro outro. Foi muito bom”, disse.

O embaixador francês M. Antoine Pouillieute disse que a homenagem, uma medalha, era pelo aniversário de Niemeyer e também pelo conjunto de sua obra.

“Para a França, Oscar Niemeyer é uma lenda”, disse Pouillieute durante a entrega do título Comendador da Ordem Nacional da Legião de Honra.

O arquiteto irá receber outra homenagem na sexta-feira, desta vez do consulado da Rússia. No sábado, comemora os 100 anos na Casa das Canoas, um projeto de sua autoria de 1952, considerado um dos marcos da arquitetura brasileira.

Texto de Fernanda Ezabella, edição de Maria Pia Palermo

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below