SAIBA MAIS-São Paulo influencia eleição presidencial

sexta-feira, 13 de junho de 2008 18:47 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - A eleição para a prefeitura de São Paulo tem todos os ingredientes para influenciar a disputa presidencial em 2010.

A candidata do PT, Marta Suplicy, é um dos nomes ventilados para a sucessão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, e o governador do Estado, José Serra, é potencial candidato tucano em 2010. Serra quer que o PSDB apóie o prefeito Gilberto Kassab (DEM) para manter a aliança entre os dois partidos em torno de seu nome daqui a dois anos.

Na mais recente pesquisa de intenção de voto, realizada pelo Ibope e divulgada em 3 de junho, Marta aparece com 30 por cento, seguida de Alckmin, com 28 por cento, e de Kassab, com 13 por cento.

Os candidatos devem ser oficializados em convenções até o fim deste mês e a campanha começa em 5 de julho.

Veja os candidatos e as alianças dos principais partidos.

PT -- MARTA SUPLICY

A ex-prefeita de São Paulo (2001-2004), derrotada na tentativa de reeleição pelo agora governador José Serra (PSDB), ainda não fechou alianças partidárias. Depois de perder o PMDB e o PR, o PT permanece em conversações com PSB, PDT e PCdoB, o chamado bloco de esquerda. Na primeira entrevista como pré-candidata, Marta, de 63 anos, disse que a criação de impostos a prejudicou na tentativa de reeleição. Nesta campanha, ela deve ter dois focos principais: o transporte e a saúde. Paulistana e psicanalista, tornou-se conhecida nos anos 1980 quando apresentava programa sobre comportamento sexual, na TV Globo. Sempre pelo PT, foi deputada federal entre 1995 a 1998 e ministra do Turismo entre março e junho deste ano. A convenção do PT será dia 29.

PSDB -- GERALDO ALCKMIN

Parece sina. Em 2006, Alckmin, de 55 anos, teve que disputar a indicação do partido para concorrer à Presidência da República, afinal perdida para o presidente Lula. Agora, o tucano deve enfrentar na convenção do partido a proposta de apoio ao prefeito Gilberto Kassab (DEM). Ele acredita que vence a indicação e que terá o apoio do DEM no segundo turno. Como aliado nesta eleição, terá o PTB. Natural de Pindamonhangaba (SP), Alckmin, católico praticante, formou-se médico anestesista, mas começou a se afastar da área ainda na faculdade. Vereador e prefeito em Pindamonhangaba, deputado estadual, duas vezes deputado federal e vice-governador, Alckmin assumiu o governo paulista em 2001, com a morte de Mário Covas, seu guru político. A convenção do PSDB será no dia 22.   Continuação...