JURO-Projeções avançam de olho em ata do Copom, CPMF e exterior

quinta-feira, 13 de dezembro de 2007 16:43 BRST
 

Por Daniela Machado

SÃO PAULO, 13 de dezembro (Reuters) - A prudência destacada pelo Banco Central na última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), dúvidas com o fim da CPMF e o cenário externo fraco impulsionaram as projeções de juros nesta quinta-feira.

Os contratos de depósito interfinanceiro (DI) subiram em bloco e o avanço mais forte ficou com as projeções mais longas --que, a partir do DI janeiro de 2009, superaram 12 por cento.

"(Sem a CPMF) fica uma série de dúvidas. Mantega minimizou os efeitos negativos, mas também se recusou a responder que medidas o governo vai tomar", afirmou a economista-chefe da Arkhe Corretora, Inês Filipa.

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, garantiu que a meta de superávit primário será "rigorosamente" cumprida e deixou para a semana que vem o anúncio de medidas que compensarão a perda de receitas da CPMF.

A economista citou também o tom cauteloso da ata do Copom.

"A prudência passa a ter papel ainda mais importante... em momentos como o atual, nos quais a deterioração do balanço dos riscos inflacionários reduz sensivelmente a margem de segurança da política monetária", apontou a ata.

O DI janeiro de 2009 avançou de 11,82 para 12,02 por cento ao ano. O DI janeiro de 2010 subiu de 12,44 para 12,73 por cento.

  Continuação...