13 de Março de 2008 / às 11:08 / em 10 anos

Bolsas da Ásia recuam com dólar perto de 100 ienes

<p>As bolsas de valores da &Aacute;sia fecharam em queda nesta quinta-feira, pressionadas por um d&oacute;lar perto de 100 ienes e pelo petr&oacute;leo em cerca de 110 d&oacute;lares o barril. Photo by Toru Hanai</p>

Por Tom Miles

HONG KONG (Reuters) - As bolsas de valores da Ásia fecharam em queda nesta quinta-feira, pressionadas por um dólar perto de 100 ienes e pelo petróleo em cerca de 110 dólares o barril.

A oferta do Federal Reserve de aceitar títulos vinculados a hipotecas como colateral fez Dow Jones e Nasdaq avançarem muito na terça-feira, mas preocupações com a economia norte-americana voltaram a perturbar os investidores nesta quinta-feira.

A queda do dólar ajudou o petróleo nos Estados Unidos a superar a marca de 110 dólares o barril pela primeira vez. Enquanto isso, o ouro se firmou acima de 985 dólares a onça, ainda perto do recorde de 991,90 dólares atingido em 6 de março.

“Há ainda um certo grau de cautela enquanto estamos vendo uma perfeita tempestade de fatores de recessão econômica atingindo os Estados Unidos e isso cria incertezas apesar do fato de o Fed surgir com idéias elegantes e criativas”, disse Savanth Sebastian, economista da CommSec.

“Os mercados de crédito continuam muito restritos apesar do Fed ter criado um mercado para alguns dos ativos que estão no centro da crise de crédito.”

O dólar pode continuar caindo a menos que as autoridades atuem mais para aliviar as preocupações sobre o setor imobiliário norte-americano e mercado de crédito, afirmou Tomoko Fujii, chefe de economia e estratégia no Japão do Bank of America.

“Não há motivo para comprar dólar”, disse Fujii. “Não se trata do caso do governo norte-americano agir e comprar todas as hipotecas”, acrescentou ela.

Às 7h57 (horário de Brasília), o índice MSCI que reúne mercados da região Ásia-Pacífico exceto Japão tinha forte queda de 3,4 por cento, a 442,44 pontos, pressionado por papéis de instituições financeiras como o Macquarie Group, maior banco de investimentos australiano, que perdeu 8,4 por cento.

A bolsa de TÓQUIO também teve queda aguda, de 3,33 por cento, a 12.433 pontos. O índice já perdeu quase um terço de seu valor desde julho do ano passado.

“Eu diria que 70 por cento das vendas hoje foram conseqüência de fatores vinculados aos Estados Unidos, com outros 30 por cento por conta de fatores japoneses”, afirmou Yoku Ihara, gerente de investimentos na Retela Crea Securities.

A alta no petróleo afetou companhias aéreas como a coreana Korean Air, depois que seu presidente-executivo alertou seus funcionários sobre as ruins condições do mercado.

Em TAIWAN o índice TAIEX, um dos mais elásticos do ano, caiu 2,7 por cento depois que o ministro das finanças do país deixou o cargo, aumentando a insegurança dos investidores.

Em HONG KONG, o índice Hang Seng perdeu 4,79 por cento. XANGAI se desvalorizou 2,43 por cento.

Na CORÉIA DO SUL, a bolsa de SEUL recuou 2,6 por cento, para 1.615 pontos. CINGAPURA viu desvalorização de 3,85 por cento.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below