Volátil, Bovespa fecha em leve alta após cair mais de 3%

quinta-feira, 13 de março de 2008 17:38 BRT
 

Por Aluísio Alves

SÃO PAULO (Reuters) - No encalço do movimento errático dos mercados nova-iorquinos, a Bolsa de Valores de São teve uma sessão de grande volatilidade nesta quinta-feira, chegando ao final dos negócios com leve valorização. Depois de ter chegado a ultrapassar 3 por cento de queda logo na primeira hora do pregão, o Ibovespa foi se recuperando ao longo do dia, fechando com alta de 0,17 por cento, aos 62.279 pontos. O intenso vaivém dos índices inflou o volume de negócios, que somou 5,95 bilhões de reais.

O noticiário relacionado à crise do setor imobiliário nos Estados Unidos novamente balizou os negócios. E na primeira parte do dia, as novidades assustaram. O gigante norte-americano de private equity Carlyle Group informou que uma de suas subsidiárias deixou de honrar pagamentos de cerca de 16,6 bilhões de dólares em dívida, devido a perdas com as hipotecas de alto risco no país.

Quando os índices das bolsas de Wall Street já exibiam perdas superiores a 2 por cento, tudo começou a reverter. Segundo operadores, o motivo foi a divulgação de um relatório da Standard & Poor's com previsões de que as perdas de instituições financeiras com a crise dos subprimes pode estar perto do fim.

"Isso provocou uma reviravolta nos negócios e a Bovespa acabou acompanhando", disse o gestor de renda variável da Mercatto Gestão de Recursos, Roni Lacerda.

Com isso, o cenário macroeconômico brasileiro voltou a ficar em segundo plano, explicou o profissional. Um dos destaques domésticos do dia foi a divulgação da ata da última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), sinalizando possibilidade de elevação da Selic nos próximos meses. O tom do documento fez os juros futuros subirem forte na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F).

DESTAQUES

Entre os papéis que ajudaram a suportar o Ibovespa no azul estiveram as ações preferenciais da Vale, com alta de 0,5 por cento, a 48,55 reais. A reação dos ativos sucedeu-se a rumores de que a companhia estaria perto de acordo para compra da mineradora anglo-suíça Xstrata.

E as siderúrgicas voltaram a figurar entre as líderes de ganhos. As ações preferenciais da Companhia Siderúrgica Nacional foram um dos destaques positivos do Ibovespa, com avanço de 3,4 por cento, para 65,25 reais.