PETROBRAS fará nova sísmica em Tupi para ver se há interligação

quarta-feira, 13 de agosto de 2008 14:17 BRT
 

Por Denise Luna

RIO DE JANEIRO, 13 de agosto (Reuters) - A Petrobras (PETR4.SA: Cotações) fará uma sísmica de alta definição para descobrir se os blocos do pré-sal da bacia de Santos estão interligados. De acordo com um executivo da empresa, é bem possível haver necessidade de se unir os reservatórios.

"As sísmicas atuais que a gente tem mostram que existe uma boa continuidade, a gente quer, novamente, avaliar melhor", disse a jornalistas o coordenador de Exploração e Produção da estatal, Eduardo Alessandro Molinari, depois de uma assembléia de acionistas da empresa nesta quarta-feira.

Ele informou que a sísmica será feita em Tupi, o bloco que possui mais informações entre os que já foram perfurados pela empresa e parceiros na camada pré-sal da bacia de Santos.

"Olhando a sísmica daquela área de Tupi a gente vê uma continuidade", disse Molinari.

Se ficar comprovada a interligação entre os blocos, as empresas que possuem áreas na região terão que explorar juntas o petróleo e o gás natural contidos nos reservatórios. As explorações poderão ser iniciadas antes de um acordo, explicou Molinari, ressaltando que, depois, uma empresa compensa a outra.

A unitização é usada frequentemente na indústria petrolífera para evitar que empresas se beneficiem do reservatório de outras se estes forem interligados. Em comum acordo, as companhias elaboram um plano de produção.

Molinari afirmou que uma possível mudança de regras na exploração de petróleo no Brasil, como vem sendo estudado pelo governo, não interfere na unitização.

"A unitização vai ter que ocorrer, em qualquer situação, mesmo que venha a ocorrer um novo marco regulatório", concluiu.   Continuação...