JURO-Cautela com inflação pressiona taxas na BM&F

sexta-feira, 13 de junho de 2008 16:12 BRT
 

SÃO PAULO, 13 de junho (Reuters) - A tensão do mercado com o cenário de inflação voltou a pressionar as projeções de juros na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F) nesta sexta-feira.

O contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) janeiro de 2010, o mais negociado nesta sessão, subiu de 14,78 para 14,86 por cento, após ter recuado um pouco na véspera. O DI janeiro de 2009 avançou de 13,20 para 13,24 por cento.

O pregão teve volume reduzido após uma semana carregada de indicadores domésticos. Com menos liquidez, acabou pesando o temor de que o relatório semanal com as previsões do mercado, divulgado pelo Banco Central toda segunda-feira, traga uma deterioração das expectativas de inflação.

"As próximas projeções para 2009 (para o IPCA) devem se elevar", disse Gerson de Nobrega, gerente da tesouraria do Banco Alfa de Investimento.

Renato Schoemberger, operador da Alpes Corretora, tem visão semelhante. "O mercado ainda está tenso em relação à inflação", comentou, acrescentando que a queda de várias taxas na véspera apareceu como uma oportunidade de compra para alguns agentes.

"Ontem (o janeiro 2010) chegou no 14,70 e apareceu muita compra, aí já subiu para 14,80, 14,82. Vai trabalhar nesses níveis até sair um número relevante de novo", afirmou.

Para Nobrega, no entanto, o mercado de juros futuros tem trabalhado em níveis relativamente altos, o que em condições normais favoreceria a venda de contratos.

"Se você considerar o que o BC tem à disposição para aumentar o cenário de juro, o prêmio é alto... Mas a volatilidade não pode ser descartada em virtude do que pode acontecer com a inflação", disse.

O Banco Central realizou apenas uma operação no mercado aberto no começo da manhã, recolhendo 25,452 bilhões de reais dos bancos, até segunda-feira a 12,18 por cento ao ano.

(Reportagem de Silvio Cascione; Edição de Renato Andrade)