Candidatos invertem estratégias em debate em BH

segunda-feira, 13 de outubro de 2008 07:20 BRT
 

Por Marcelo Portela

BELO HORIZONTE, 13 de outubro (Reuters) - Os candidatos à prefeitura da capital mineira adotaram táticas inversas no primeiro debate televisionado no segundo turno das eleições. Apesar de o candidato "oficial" do governador Aécio Neves (PSDB) ser Marcio Lacerda (PSB), foi o adversário Leonardo Quintão (PMDB) quem usou diversas vezes o nome de Aécio.

Lacerda preferiu centrar o discurso em sua própria pessoa, ao contrário dos debates e programas eleitorais do primeiro turno, nos quais deu grande ênfase ao apoio do governador e do prefeito Fernando Pimentel (PT), dois dos principais articuladores de sua campanha.

Ao invés disso, durante a maior parte do debate promovido pela TV Bandeirantes no domingo, Lacerda tentou reforçar a idéia de que possui conhecimento administrativo, acompanhada de crítica ao que considera falta de preparo do adversário para gerenciar o Executivo municipal por ter feito toda sua carreira política com mandatos como parlamentar. "O candidato Leonardo não tem experiência de gestão, de comando", afirmou.

Quintão rebateu as farpas usando como exemplo Aécio Neves, em uma das diversas citações que fez ao governador mineiro durante as discussões. "O governador Aécio Neves foi presidente da Câmara, foi deputado federal, e está fazendo um bom governo. E presidente da Câmara é cargo político, quem gerencia os recursos é o secretário executivo", disse.

O peemedebista também evitou ataques mais duros à atual gestão e negou que vá fazer mudanças drásticas na administração municipal. Segundo Quintão, "tem muita gente boa na prefeitura do Partido dos Trabalhadores".

Apesar das alfinetadas, na maior parte do tempo, os candidatos evitaram um confronto direto, com exceção do último bloco. Em suas últimas considerações, Lacerda acusou o adversário de "sociedade" com campanhas difamatórias no primeiro turno --logo depois do peemedebista ter dito que a campanha deveria correr em alto nível.

"Eu tive muita coragem para enfrentar uma campanha difamatória. E em nenhum momento o candidato se colocou contra essa difamação. Se tornou meio sócio disso", disparou Lacerda.

"Ninguém está vendo essas coisas. Se fosse eu, nem falava sobre isso. O eleitor não está vendo esses cartazes. Vá para a TV e seja você", rebateu Quintão.

(Edição de Renato Andrade)