França garantirá 300 bi de euros em empréstimos interbancários

segunda-feira, 13 de outubro de 2008 08:57 BRT
 

PARIS, 13 de outubro (Reuters) - A França usará duas entidades para ajudar bancos a superar a crise financeira. Uma vai oferecer 300 bilhões de euros em garantias a empréstimos interbancários e a outra vai montar um fundo de 40 bilhões de euros para assumir participações em companhias, de acordo com a mídia.

O jornal Le Monde informa que o veículo de financiamento de garantia do Estado será criado com o objetivo de fazer o mercado de crédito interbancário pegar no tranco.

"Essa garantia pública, que vai valer até o final de 2009, deve ter um teto de 300 bilhões de euros, com o entendimento que este total pode não ser necessário se o mercado interbancário começar a funcionar normalmente de novo", publicou o Le Monde.

O veículo levantará dinheiro nos mercados de capitais com garantia do Estado e se encarregará por fornecer recursos a bancos em troca por títulos de dívida que forem julgados "saudáveis", mas que não são aceitos pelo Banco Central Europeu (BCE) em suas operações regulares de refinanciamento.

Os bancos, que serão acionistas deste veículo, pagarão uma taxa de juro ao Estado.

O jornal também publicou que a entidade que foi criada em 3 de outubro, permitindo à França assumir participação no banco belgo-francês Dexia (DEXI.BR: Cotações)DEXI.PA, está pronta para intervir novamente.

A agência Dow Jones informou que o país vai alocar cerca de 40 bilhões de euros a essa parte do plano.

O presidente francês, Nicolas Sarkozy, deve anunciar detalhes do plano em um discurso em rede nacional de TV. O ministério da Economia vai conceder entrevista coletiva às 11h30 (horário de Brasília) para detalhar o plano.

(Texto de Anna Willard e Marcel Michelson)