SAIBA MAIS-Salvador tem primeira eleição sem influência de ACM

sexta-feira, 13 de junho de 2008 17:44 BRT
 

SALVADOR (Reuters) - Pela primeira vez desde que as eleições diretas voltaram a vigorar no país, a capital baiana escolherá seu prefeito sem a influência do cacique Antonio Carlos Magalhães, que morreu ano passado. Como governador ou senador, ACM sempre ditou o tom das campanhas na Bahia e foi assim até na derrota do carlismo, em 2006, quando seu candidato a governador perdeu para o petista Jaques Wagner.

Quatro grupos disputam a prefeitura com chances reais. O do prefeito João Henrique Carneiro (PMDB), que tenta a reeleição com o apoio do ministro Geddel Vieira Lima, já de olho na sucessão de Jaques Wagner. O PSDB do ex-prefeito Antonio Imbassahy, o DEM, herdeiro do PFL, que traz como candidato o deputado Antonio Carlos Magalhães Neto, e o PT, que demorou a escolher candidato e decidiu pelo deputado federal Walter Pinheiro, de pouca densidade eleitoral na capital.

Recentes pesquisas indicaram empate técnico entre os preferidos ACM Neto e Imbassahy, com mais de 21 por cento das intenções de voto. Em terceiro, cerca de 10 pontos abaixo, João Henrique, e bem distante o candidato petista.

Veja os candidatos e as alianças dos principais partidos:

PMDB -- João Henrique Carneiro

Atual prefeito, João Henrique busca a reeleição tendo como vice Edvaldo Brito(PTB), professor, advogado tributarista e ex-secretário da administração Celso Pitta, em São Paulo. Integram ainda a coligação os partidos: PP, PSC, PDT, PRTB, PSL e PHS. Sua administração é rejeitada por mais da metade da população, segundo as pesquisas.

PSDB -- Antonio Imbassahy

Ex-prefeito de Salvador em dois mandatos (1997/2004) pelo PFL, Imbassahy tem como vice o economista Miguel Kertzman, do PPS. Tenta desvincular sua imagem do carlismo e mostra-se amigo de Jaques Wagner, embora os petistas baianos o repudiem.

DEM -- ACM Neto   Continuação...