13 de Outubro de 2008 / às 17:51 / 9 anos atrás

Paes apresenta apoio de Lula e Gabeira evita nacionalização

RIO DE JANEIRO, 13 de outubro (Reuters) - O candidato Eduardo Paes (PMDB) abriu sua campanha de TV à prefeitura do Rio de Janeiro nesta segunda-feira apresentando a imagem e o apoio do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Negociada pelo governador do Estado, Sérgio Cabral, a participação de Lula foi gravada na última sexta-feira, em um hotel, em São Paulo, onde o presidente participou de um evento com empresários.

De terno e gravata, os três aparecem juntos em uma sala, como numa reunião de trabalho. Sobre a imagem, a locução afirma que Paes, Cabral e Lula firmaram o compromisso de trabalhar juntos e fazer mais pelo Rio.

"O Rio é prioridade. As pessoas vão ter o prefeito Eduardo Paes, o governador Sérgio Cabral e o presidente Lula trabalhando juntos pelo interesse da população", afirma o candidato.

"Se você tem um presidente da República e um governador que estão estabelecendo uma harmonia extraordinária nas suas relações políticas e nas suas relações administrativas, é importante que a gente tenha um prefeito afinado com essa políticas", comenta Lula.

"Essa parceria é fundamental, presidente", responde Paes, que focou o seu discurso na união entre as três esferas políticas.

Logo após esse diálogo, o programa enfatiza que uma parceria forte por recursos para levar o PAC a mais comunidades.

"Sérgio Cabral e Eduardo Paes, estejam certos que da minha parte iremos trabalhar harmonicamente e fazendo verdadeiras parcerias, porque o povo da cidade do Rio de Janeiro merece o que todos nós pudermos dar de melhor", completa Lula.

Eduardo Paes precisou escrever uma carta de desculpas para ter a chance de exibir a imagem do presidente. No PSDB à época do escândalo do mensalão, o candidato foi um dos principais críticos de Lula e seu governo.

ZONA OESTE

Já Fernando Gabeira (PV) retomou sua campanha na TV tentando manter o movimento crescente que o levou ao segundo turno. O programa foi aberto com a música "Como uma onda", de Lulu Santos, onde procurou se prevenir contra a nacionalização da campanha, destacada por todos os aliados de Paes.

Para Gabeira, nacionalizar a campanha municipal traz o risco de ignorar as condições específicas do Rio de Janeiro.

"Nacionalizar, para muita gente, é reproduzir aqui a briga nacional do PSDB contra o PT. A nossa visão de nação é muito mais ampla, não se resume à briga de dois partidos", afirmou.

Outro aspecto adverso foi tratado pelo primeiro programa do candidato do PV: o conflito com a Zona Oeste da cidade, região que concentra 1 milhão de eleitores e que costuma ser decisiva nas eleições municipais.

Em conversa telefônica flagrada por jornalistas, Gabeira se referiu à vereadora mais votada da cidade, com base eleitoral na zona Oeste, como "analfabeta política" e com "visão suburbana". Suas declarações foram exploradas na região, e houve manifestação de moradores, que está sendo investigada pelo TRE por suspeita de envolvimento do PMDB, partido de Paes.

Gabeira não se referiu diretamente à questão, mas se queixou da pré-campanha, afirmando que luta contra boatos e panfletos clandestinos. A primeira declaração de um eleitor no novo programa de TV foi de uma moradora da Zona Oeste, dizendo que estava com ele.

O programa destacou ainda o apoio do arquiteto Oscar Niemeyer, e Caetano Veloso reapareceu na campanha cantando Cidade Maravilhosa e dizendo que Gabeira é a cara do que há de bom no Rio.

Reportagem de Mair Pena Neto, Edição de Natuza Nery

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below