Mercados asiáticos recuam com ceticismo sobre cooperação de BCs

quinta-feira, 13 de dezembro de 2007 07:55 BRST
 

Por Ian Chua

SYDNEY (Reuters) - O ceticismo sobre o plano de importantes bancos centrais para combater as condições de crédito restrito derrubou os mercados asiáticos nesta quinta-feira para o menor nível em uma semana.

"A ação dos bancos centrais ressalta que eles estão muito preocupados com o problema e que precisam fazer algo a respeito. Mas ainda é incerto se o plano vai funcionar", disse Shane Oliver, diretor de estratégia de investimentos da AMP Capital Investors, em Sydney.

Os investidores inicialmente se animaram com a notícia de que o Federal Reserve e suas contrapartes na Europa, Canadá e Inglaterra se uniram para combater a crise de crédito, na primeira ação coordenada desde os ataques de 11 de setembro.

O Banco do Japão também aderiu à iniciativa afirmando que vai garantir a estabilidade dos mercados de moeda por meio da condução de operações apropriadas como fornecimento de recursos de fim de ano.

A bolsa de TÓQUIO fechou em queda de 2,5 por cento, no menor nível em uma semana, e o índice MSCI que reúne os outros mercados da região Ásia-Pacífico operava em queda de 1,64 por cento, a 533,65 pontos.

Os mercados já tinham se decepcionado por causa do modesto corte de 25 pontos básicos nos juros dos EUA decidido pelo Fed nesta semana. As ações do setor financeiro operaram em queda em sua maioria, pressionadas ainda por notícias de possíveis baixas contábeis e de perdas com empréstimos nos três maiores bancos dos EUA, incluindo o Bank of America .

O japonês Mitsubishi UFJ caiu quase 8 por cento e as ações do Citigroup em Tóquio recuaram 6,3 por cento.

Por outro lado, os investidores compraram ações de alguns dos maiores produtores de ouro da região depois da alta nos preços do metal.

A bolsa de SEUL recuou 0,6 por cento, a 1.915 pontos. Enquanto isso, HONG KONG caiu 2,72 por cento, XANGAI se desvalorizou em 2,7 por cento e TAIWAN perdeu 3,57 por cento.

CINGAPURA registrou queda de 1,97 por cento e SYDNEY recuou 0,27 por cento.