BOLSA EUA-Wall St dispara 11% com resgates bancários

segunda-feira, 13 de outubro de 2008 18:19 BRT
 

(Texto atualizado com mais informações e comentários de analista)

Por Kristina Cooke

NOVA YORK, 13 de outubro (Reuters) - Wall Street se recuperou da sua pior semana com uma alta diária recorde em pontos nesta segunda-feira, após países em todo mundo sinalizarem que irão inundar de capital os bancos atingidos pela crise para impulsionar o sistema financeiro global.

O índice Dow Jones .DJI, referência da bolsa de Nova York, saltou 11,08 por cento, para 9.387 pontos. O termômetro de tecnologia Nasdaq .IXIC disparou 11,81 por cento, para 1.844 pontos. O índice Standard & Poor's 500 .SPX decolou 11,58 por cento, para 1.003 pontos.

Investidores em busca de preços baixos limparam os destroços da série de oitos quedas consecutivas que reduziram em mais de 20 por cento o valor do índice S&P 500. Ações do setores de saúde, serviços públicos e energético foram as principais alta da sessão, primeira com fechamento positivo neste mês para o Dow e S&P 500.

O Morgan Stanley (MS.N: Cotações) lidera a alta nas ações financeiras, saltando 87 por cento, após o Mitsubishi UFJ Financial Group completar o seu investimento de 9 bilhões de dólares no banco norte-americano, com o apoio do governo dos EUA ao acordo que muitos investidores temiam que poderia fracassar. O Wachovia WB.N decolou 13,6 por cento após o Federal Reserve aprovar a sua aquisição de 12,46 bilhões de dólares pelo Wells Fargo & Co (WFC.N: Cotações).

"A questão crucial para o mercado tem sido a falta de confiança e mais recentemente as tentativas de aliviar a crise de crédito dos governos e bancos centrais têm sido bastante positivas em termos de construir confiança", afirmou Subodh Kumar, estrategista-chefe de investimento da Subodh Kumar & Associates.

Liderados pela Inglaterra, os governos europeus concordaram em garantir bilhões de dólares ao sistema bancário em movimentos que podem se tornar um teste crucial para a confiança do investidor na capacidade dos governos para reverter a crise.

O Federal Reserve, o Banco Central Europeu (BCE), o Banco da Inglaterra e o Banco Nacional da Suíça afirmaram que emprestarão aos bancos comerciais toda a liquidez em dólar que eles precisarem. O índice financeiro do S&P 500 .GSP disparou 10,23 por cento.