Medidas do BC estimulam negócios entre bancos, dizem analistas

segunda-feira, 13 de outubro de 2008 16:42 BRT
 

SÃO PAULO, 13 de outubro (Reuters) - As ações de bancos decolavam na Bolsa de Valores de São Paulo nesta segunda-feira, acrescentando combustível adicional à euforia dos investidores com as medidas de autoridades governamentais para dar liquidez ao sistema financeiro.

Em destaque, Unibanco UBBR11.SA decolava 17,3 por cento, a 15,76 reais; Bradesco BBDC4.SA dava um salto de 20,3 por cento, para 20,58 reais; Itaú ITAU4.SA avançava 19,7 por cento, valendo 27,40 reais.

O movimento dava impulso ainda maior ao Ibovespa .BVSP, que disparava 13,3 por cento, para 40.340 pontos, às 16h38.

O Banco Central fez nesta segunda-feira novas alterações nas regras dos recolhimentos compulsórios exigidos dos bancos.

Entre as medidas anunciadas, estão o aumento do valor de dedução do cálculo do compulsório sobre depósitos a prazo e operações de leasing. Somando-se às medidas anunciadas na semana passada pelo BC, o volume adicional de recursos colocado à disposição dos bancos atinge cerca de 200 bilhões de reais.

"As medidas são um incentivo adicional para a troca de carteiras entre bancos, especialmente para alguns do setor privado que não estavam se mostrando interessados em adquirir carteiras de pequenos", disse João Augusto Frota Salles, analista da consultoria RiskBank.

Segundo José Francisco de Lima Gonçalves, economista-chefe do Banco Fator, o impacto daS medidas pode estar sendo ampliado pelo ambiente já positivo criado no mercado com a série de pacotes de ajuda a bancos no mundo inteiro, especialmente na Europa, para evitar a insolvência de mais instituições em função da crise.

"Aqui, o BC está se antecipando a problemas que poderiam ocorrer. Como as medidas da semana passada não tinham dado muito certo, o BC resolveu ser mais agressivo", disse Gonçalves.

(Reportagem de Aluísio Alves; Edição de Alexandre Caverni)