FHC propõe que governo e oposição deixem "picuinhas" de lado

quinta-feira, 13 de dezembro de 2007 19:43 BRST
 

SÃO PAULO (Reuters) - Menos de um dia depois de o Senado derrubar a prorrogação da CPMF, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) divulgou uma nota na qual defende que governo e oposição devem deixar de lado "as picuinhas" e passar a discutir uma proposta de reforma tributária.

"É o momento de governo e oposição, pensando no Brasil, deixarem de lado as picuinhas e se concentrarem na análise e deliberação do que é necessário fazer", disse Fernando Henrique nesta quinta-feira.

Sem mencionar que a CPMF foi criada em seu primeiro mandato e prorrogada por três vezes, o ex-presidente diz que a população cansou de pagar tributos.

"Olhando para frente, o mais importante a salientar é que chegou a hora de colocar, na ordem do dia, a reforma tributária (e fiscal, porque não se pode discutir a receita sem debater o gasto)", completou.

Do diálogo, segundo ele, deve surgir uma forma de alívio da carga tributária que permita aumentar o crescimento do país e que assegure os recursos para a saúde e as demais áreas sociais.

PSDB e Democratas impuseram na madrugada desta quinta-feira derrota ao governo ao derrubarem a proposta de prorrogação da CPMF até 2011. Ao contrário do DEM, irredutível desde o início, o PSDB negociou com o governo até o último momento, mas rechaçou as ofertas, que incluíram a transferência para a área da saúde da totalidade dos recursos da CPMF, estimados em 40 bilhões de reais.

Para o ex-presidente, ao votar contra a CPMF a oposição não fechou os olhos ao interesse nacional.

"Em qualquer democracia digna deste nome, a oposição, ao votar contra uma proposta do governo, não fecha os olhos ao interesse nacional." Como exemplo, citou a aprovação na mesma votação da DRU (Desvinculação das Receitas da União), mecanismo que confere liberdade ao governo para utilizar 20 por cento do Orçamento.

(Reportagem de Carmen Munari; Edição de Alexandre Caverni)