PANORAMA2-Tensão diminui e mercado recupera parte das perdas

terça-feira, 13 de novembro de 2007 19:17 BRST
 

Por Silvio Cascione

SÃO PAULO, 13 de novembro (Reuters) - Os mercados financeiros puderam respirar um pouco mais aliviados nesta terça-feira, com forte alta das bolsas após quatro dias de ventania nos mercados internacionais.

No Brasil, a melhora do humor se refletiu em recuperação da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) e em queda do dólar, que interrompeu uma sequência de quatro altas consecutivas.

O principal gatilho para o movimento positivo foi o otimismo com os resultados do Wal-Mart, maior varejista do mundo. A rede divulgou um aumento de 8 por cento dos lucros no terceiro trimestre e trouxe esperança para as projeções sobre o restante da economia dos Estados Unidos.

O petróleo também colaborou, com queda de mais de 3 dólares nos Estados Unidos CLc1. O barril da commodity, que se aproximava da marca histórica de 100 dólares, agora voltou a ficar mais perto da casa dos 90 dólares, diminuindo um pouco a preocupação com as pressões inflacionárias.

Nos Estados Unidos, os investidores ainda puderam respirar aliviados com a projeção feita pelo Goldman Sachs (GS.N: Cotações) de que o banco não deve fazer mais nenhuma baixa contábil significativa. O prejuízo do setor financeiro com o crédito de alto risco (subprime) foi justamente o motor da recente turbulência nos mercados financeiros.

A agenda favoreceu também. Sem nenhum dado relativamente importante, e às vésperas da divulgação dos preços ao produtor nos Estados Unidos, as bolsas em Nova York aproveitaram para subir quase 2 por cento. O Nasdaq superou esse nível, impulsionado por notícias positivas sobre a Apple APPL.O.

No mercado brasileiro, a Petrobras (PETR4.SA: Cotações) voltou a jogar a favor do índice Bovespa, com alta de apenas x,xx por cento --perto da variação do próprio índice. Na últimas duas sessões, as ações da estatal oscilaram fortemente com a euforia pela descoberta da reserva gigante de Tupi e com a decepção pelos resultados mais fracos que o esperado.

  Continuação...