Após atentado, presidente do Timor Leste volta ao país na 5a

segunda-feira, 14 de abril de 2008 08:02 BRT
 

CANBERRA (Reuters) - O presidente do Timor Leste, José Ramos-Horta, voltará a Dili para retomar seus deveres presidenciais na quinta-feira, dois meses depois de praticamente perder a vida numa tentativa de assassinato realizada por soldados rebeldes.

Ramos-Horta, baleado com dois tiros e gravemente ferido no dia 11 de fevereiro, disse que voltará da Austrália para sua residência em Dili, apesar dos conselhos de autoridades de segurança para que se mude para um local mais seguro.

Deus está do meu lado. O povo do Timor está do meu lado", disse Ramos-Horta à imprensa australiana no domingo.

"Vou retomar minhas funções como presidente, voltar para minha casa e o povo do meu país, dezenas de milhares em todo o país, está me esperando", disse.

Cartazes com os dizeres "senhor presidente, o Timor reza e espera por você" foram pendurados em Dili, enquanto "espíritos do mal" foram "expulsos" da casa de Ramos-Horta e as árvores próximas foram lavadas.

"Nestas semanas eu recebi muitas mensagens do Timor, de bispos e de padres, de políticos. Eu sabia que tinha alguma popularidade no país, mas não sabia da profundidade dos sentimentos do país", disse.

O vencedor do Nobel da Paz de 58 anos, que se recuperava dos ferimentos na cidade australiana de Darwin, disse que retomará integralmente suas funções, apesar de estar " 90 por cento curado".

"Ainda tenho problemas com os nervos que foram atingidos pela bala", disse Ramos-Horta.

Ramos-Horta foi eleito no ano passado para um mandato que vai até 2012. Pela constituição do Timor Leste, o papel presidencial tem caráter cerimonial, com o poder ficando nas mãos do primeiro-ministro Xanana Gusmão, que escapou ileso de outra tentativa de assassinato no mesmo dia do ataque a Ramos-Horta.

(Reportagem de Rob Taylor)