BOVESPA-Bancos sustentam índice, na contramão de Wall Street

terça-feira, 14 de outubro de 2008 18:15 BRT
 

(Texto atualizado com mais informações e fechamento oficial)

Por Aluísio Alves

SÃO PAULO, 14 de outubro (Reuters) - Alta acentuada do setor bancário, combinada com a recuperação fulminante de papéis que haviam sido massacrados nas últimas semanas, fizeram a Bolsa de Valores de São Paulo sustentar-se no azul nesta terça-feira, a despeito da volatilidade de Wall Street.

O Ibovespa .BVSP fechou em alta de 1,81 por cento, a 41.569 pontos. A intensa oscilação, de mais de três mil pontos entre a máxima e a mínima do dia, turbinou o giro financeiro para 6,2 bilhões de reais, o segundo melhor do mês.

Na abertura, a indicação era de que a euforia da véspera seria repetida, com o anúncio do plano do governo norte-americano de 250 bilhões de dólares para injetar capital em grandes bancos do país.

Foi a extensão do que já haviam feito países europeus, ditando um entusiasmo geral que alçou o Ibovespa a uma alta de 14,66 por cento na segunda-feira, a maior desde 1999.

Logo nos primeiros minutos do pregão desta quarta-feira, o índice já subia mais de 7 por cento. A carona no entusiasmo de Wall Street, no entanto, evaporou assim que grandes corporações como Pepsi e Intel reportaram resultados trimestrais abaixo das expectativas, reacendendo temores de que a crise financeira levará os EUA a forte recessão.

Após muito sobe-e-desce, os principais índices das bolsas nova-iorquinas não conseguiram se recuperar. O Dow Jones .DJI caiu 0,82 por cento.   Continuação...