Conselho de Ética pede a cassação de Renan por uso de "laranjas"

quarta-feira, 14 de novembro de 2007 19:01 BRST
 

BRASÍLIA (Reuters) - O Conselho de Ética aprovou o relatório do senador Jefferson Péres (PDT-AM), que recomendou nesta quarta-feira a cassação do mandato do presidente licenciado do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), por quebra de decoro. No processo, ele é suspeito de utilizar "laranjas" para adquirir veículos de comunicação em Alagoas.

Foram 11 votos favoráveis e três contrários ao relatório e agora o processo segue para a Comissão de Constituição e Justiça e depois para o plenário do Senado. Votaram a favor de Renan os senadores Valter Pereira (PMDB-MS), Wellington Salgado (PMDB-MG) e Almeida Lima (PMDB-SE).

Péres apresentou indícios que, segundo ele, comprovariam denúncias feitas pelo ex-deputado e usineiro alagoano João Lyra sobre a sociedade de Renan na compra de duas emissoras de rádio e do jornal O Tempo, de Maceió (AL). Lyra, que já foi aliado e sócio de Renan, agora é seu inimigo político.

"Um conjunto tão forte de indícios vale como prova, os indícios reunidos dão credibilidade ao depoimento de João Lyra", disse Péres ao apresentar o relatório.

Diante desses indícios, o relator afirmou que Renan Calheiros teria ferido o Código de Ética e Decoro Parlamentar, que proíbe os deputados e senadores de possuírem ou serem membros societários de veículos de comunicação.

"Na melhor das hipóteses, ele usou o cargo para ajudar amigos e, na pior, para se beneficiar", acrescentou Péres. As compras aconteceram em 1995, quando Renan era ministro da Justiça do governo de Fernando Henrique Cardoso.

O advogado de Renan, José Fragoso, disse no conselho que não há provas contra o senador.

"Não há processo que prescinda de prova. O senhor João Lyra é hoje inimigo de Renan Calheiros e o testemunho dele não pode ser levado em consideração. Nos autos do processo não há sequer uma prova contra o senador Renan", disse Fragoso.

Wellington Salgado, aliado de Renan, já falava em derrota antes da votação final pelo conselho. "Essa representação é protocolada pelo DEM e pelo PSDB e há integrantes dos dois partidos aqui no conselho. Eu já me sinto derrotado."   Continuação...