Empresas de Brasil e Argentina fazem proposta por Exxon--Clarín

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2008 13:53 BRST
 

BUENOS AIRES, 14 de fevereiro (Reuters) - O grupo argentino Eurnekian, em parceria com o brasileiro GP Investimentos, fez uma oferta de compra pelos ativos da Exxon Mobil (XOM.N: Cotações) na América Latina por 2 bilhões de dólares, segundo reportagem do jornal Clarín na quinta-feira.

A oferta está sendo negociada há aproximadamente cinco meses, com due diligence possivelmente sendo encerrada nos próximos 20 a 30 dias, disse o proprietário da Eurnekian segundo o Clarín.

"Comentamos com a presidente Cristina Kirchner sobre a oferta que estamos fazendo", afirmou Ernesto Gutiérrez, sócio da Eurnekian, ao jornal.

As propriedades da Exxon na América Latina também são cobiçadas pela brasileira Petrobras (PETR4.SA: Cotações) (PBR.N: Cotações), pela venezuelana PDVSA e pela multinacional Royal Dutch Shell (RDSa.L: Cotações).

A Exxon controla 13 por cento da distribuição de combustíveis na Argentina e 7 por cento do mesmo mercado no Brasil. Além disso, a companhia opera no Chile, Uruguai e Paraguai.

A Exxon trava uma batalha com o governo venezuelano e tenta obter uma compensação do país após a desapropriação de ativos da empresa na Venezuela, num caso que levou o presidente Hugo Chávez a ameaçar a interrupção do fornecimento de petróleo aos EUA

Ninguém do Eurnekian estava disponível para comentar a informação do jornal.

O grupo Eurnekian possui concessões para a operação de aeroportos na Argentina, Itália, Equador, Armênia e Uruguai, além de tentar entrar nos setor ferroviário por meio de um projeto de ferrovias que ligaria Argentina e Chile via uma estrada de ferro que cruzaria os Andes.

A GP Investimentos gerencia um fundo de 3 bilhões de dólares e adquiriu 45 empresas em 14 diferentes setores, como tecnologia, petróleo, seguros, shoppings, supermercados e ferrovias.

(Por Damian Wroclavsky)