Petrobras assume 21 das 33 plataformas paradas em greve

segunda-feira, 14 de julho de 2008 09:57 BRT
 

Por Denise Luna

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A equipe de contingência da Petrobras já assumiu 21 das 33 plataformas que a greve dos petroleiros conseguiu parar nesta segunda-feira, primeiro dia de um movimento que pretende durar até sexta-feira.

"Doze (plataformas) estão mantendo a parada de produção, as outras fecharam os poços e entregaram a plataforma para a equipe de contingência da Petrobras", informou à Reuters o coordenador do Sindicato dos Petroleiros do Norte Flumimense, José Maria Rangel.

A greve pretende pressionar a Petrobras a considerar o dia de desembarque do petroleiro da plataforma como dia de trabalho e não folga, como acontece hoje em dia. Os petroleiros passam 14 dias embarcados e 21 em terra.

Segundo Rangel, a Petrobras enviou mais de 250 petroleiros nesta segunda-feira para evitar a queda de produção das 42 plataformas da bacia de Campos, região responsável por 80 por cento da produção de petróleo do país e onde ficou concentrada a greve.

Rangel informou que a parada desta manhã fez com que cerca de 400 mil barris de petróleo deixassem de ser extraídos, e com isso a produção de gás natural para o Estado do Rio de Janeiro também foi reduzida, de acordo com o sindicalista.

"Já está tendo reflexo de falta de gás na Rio Polímeros, que nos foi informado pela Reduc (Refinaria Duque de Caxias, da Petrobras), para termelétrica e também para GNV (gás natural liquefeito)", disse Rangel. Com a parada da produção de petróleo, o gás natural associado a esse óleo também deixa de ser produzido, explicou.

A Reduc informou que o abastecimento de gás está normal.

De acordo com Rangel, por outro lado não há risco de crise no abastecimento de petróleo no país porque a Petrobras possui estoques suficientes para manter as refinarias funcionando.   Continuação...