Brasil quer aumentar importações da A.Latina

sexta-feira, 14 de dezembro de 2007 13:54 BRST
 

RIO DE JANEIRO, 14 de dezembro (Reuters) - O Brasil pretende elevar as importações dos países da América Latina para reduzir os desequilíbrios regionais, afirmou nesta sexta-feira o secretário-executivo do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Ivan Ramalho.

O secretário destacou que o Brasil tem elevados superávits comerciais com todos os países da região e a exceção é a Bolívia, em razão da importação diária de quase 30 milhões de metros cúbicos de gás.

Segundo Ramalho, o governo ainda não fixou nenhuma meta para ampliar as importações, mas já foram criados comitês bilaterais para tentar eliminar barreiras que possam estar atrapalhando a exportação para o Brasil.

O governo brasileiro também tem estimulado a vinda ao país de missões comerciais da região e o programa prevê treinamento de chanceleres e negociadores da América Latina.

Segundo dados do ministério, de janeiro a agosto deste ano as importações da América Latina aumentaram 26,7 por cento e alcançaram 13 bilhões de dólares --representam 17,3 por cento do total das importações brasileiras, ante 17,5 por cento em 2006.

"Não há problema em ter superávit comercial com a América Latina. Só queremos reduzir os desequilíbrios", acrescentou.

Em meio à perspectiva de um crescimento menor da economia mundial pela crise no mercado de hipotecas dos EUA, Ramalho admite a possibilidade de um saldo comercial menor em 2008 do que os 40 bilhões de dólares estimados para este ano.

As importações devem crescer acima das exportações pelo segundo ano. "Se isso acontecer de novo, o saldo pode sofrer uma pequena redução, mas ainda continuará sendo expressivo", disse o secretário.

(Por Rodrigo Viga Gaier; Edição de Daniela Machado)