Disparada das ações da Petrobras contém perdas da Bovespa

segunda-feira, 14 de abril de 2008 17:58 BRT
 

Por Aluísio Alves

SÃO PAULO (Reuters) - A expectativa de uma nova reserva gigante de petróleo pôs a Petrobras em evidência no mercado doméstico de ações, limitando as perdas da Bolsa de Valores de São Paulo nesta segunda-feira.

O Ibovespa, que chegou até a operar no azul, fechou em queda de 0,69 por cento, aos 62.153 pontos, em meio à expectativa de alta do juro básico no Brasil e à influência negativa das bolsas norte-americanas. O giro financeiro foi de 5,8 bilhões de reais.

Uma perda ainda maior não aconteceu devido à disparada das ações da petroleira, seguindo-se a comentários do diretor-geral da Agência Nacional de Petróleo (ANP), Haroldo Lima, de que a companhia teria uma reserva ainda não divulgada em torno de 33 bilhões de barris de petróleo na Bacia de Santos.

Foi o suficiente para fazer os papéis preferenciais da companhia darem um salto de 5,6 por cento, a 82,97 reais, enquanto as ações ordinárias foram ainda mais longe, disparando 7,7 por cento, a 102,41 reais.

Sozinhas, as ações da companhia, que representam cerca de 15 por cento da composição do índice, responderam por mais de metade do giro do pregão.

O movimento limitou parcialmente a indisposição geral dos investidores com o mercado de ações, devido à perspectiva de alta do juro doméstico e de novas notícias desoladoras do efeito da crise de crédito nos Estados Unidos sobre os resultados das empresas. Na Bolsa de Nova York, o índice Dow Jones caiu 0,19 por cento.

No final da tarde, a empresa informou, em comunicado, que dados mais conclusivos sobre o potencial da descoberta no bloco na bacia de Santos somente serão conhecidos após a conclusão do processo de avaliação da área.

"Os dados são bastante preliminares, mas há a perspectiva de que a confirmação do fato ponha a empresa numa condição muitíssimo privilegiada", disse Ricardo Tadeu Martins, gerente de pesquisa da corretora Planner.   Continuação...