ANÁLISE-Plano do Brasil para pré-sal pode sofrer atrasos

quinta-feira, 14 de agosto de 2008 17:55 BRT
 

Por Fernando Exman e Natuza Nery

BRASÍLIA, 14 de agosto (Reuters) - O plano brasileiro para manter controle sobre as grandes jazidas de petróleo do pré-sal enfrentará obstáculos no Congresso e isso pode atrasar as ambições do país de se tornar um player global no setor, afirmaram especialistas nesta quinta-feira.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva quer mudar as regras do setor para a exploração do pré-sal, visando dar ao Estado mais recursos para investir no bem-estar social e na educação, reduzindo o poder da companhia estatal Petrobras.

"Agora estamos em uma pequena polêmica. Achamos petróleo no pré-sal. Tem gente que acha que o petróleo é da Petrobras (PETR4.SA: Cotações), que o petróleo é da União. E a Petrobras é da União, embora tenha acionistas estrangeiros minoritários", disse Lula nesta quinta-feira em evento no Pará.

O petróleo, segundo Lula, pertence aos brasileiros e não a "meia dúzia de companhias", disse nesta semana.

O presidente da vizinha Venezuela, Hugo Chávez, tem usado os recursos do petróleo para financiar projetos sociais.

Mas no Brasil o plano poderia enfrenar uma longa batalha no Congresso e de acionistas da Petrobras (PETR4.SA: Cotações).

"O debate no Congresso não será fácil, pois é um debate de trilhões (de dólares)", afirmou à Reuters Ideli Salvatti, líder do PT no Senado.

A Petrobras chocou o mundo do petróleo em novembro passado, quando anunciou a descoberta do megacampo Tupi, n abacia de Santos, com reservas estimadas entre 5 bilhões e 8 bilhões de barris de óleo equivalente, a segunda maior descoberta em 20 anos.   Continuação...