BOVESPA-Índice segue nervosismo em NY e opera no vermelho

sexta-feira, 14 de março de 2008 11:33 BRT
 

SÃO PAULO, 14 de março (Reuters) - Seguindo o clima de pré-histeria dos mercados norte-americanos, a Bolsa de Valores de São Paulo iniciou os negócios desta sexta-feira em volatilidade ainda mais intensa do que nos últimos dias.

Depois de chegar a subir mais de 1 por cento logo nos primeiros minutos de pregão, o Ibovespa virou, chegando a cair 2,5 por cento. Às 11h31, apontava queda de 0,86 por cento, aos 61.743 pontos.

O mote do dia foi o anúncio de que o banco norte-americano Bear Stearns virou alvo de um plano de socorro para prover liquidez, costurado entre o Federal Reserve e o JP Morgan.

Inicialmente, a notícia repercutiu positivamente, mas logo passou a ser interpretada como sinal de que ainda há muitas perdas ainda desconhecidas relacionadas à crise do mercado imobiliário dos Estados Unidos.

As ações do Bear Stearns, um dos que mais investiram no setor de hipotecas de alto risco, chegaram a cair 50 por cento. O banco avisou que o programa de apoio pode não ter êxito.

"A expectativa é de que surjam novas notícias ruins", disse Ricardo Tadeu Martins, gerente de pesquisa da corretora Planner.

A notícia fez virar pó o otimismo instilado com a divulgação de que o índice de preços ao consumidor dos Estados Unidos ficou estável em fevereiro, enquanto os economistas ouvidos pela Reuters previam leve alta.

Entre as ações com maior peso no Ibovespa, as preferenciais da Petrobras (PETR4.SA: Cotações) caíam 1,64 por cento, a 77 reais. Os papéis preferenciais da Vale (VALE5.SA: Cotações) cediam 0,31 por cento, a 48,40 reais.

  Continuação...