Potencial real de Carioca depende de análises, diz Petrobras

segunda-feira, 14 de abril de 2008 17:35 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - Dados mais conclusivos sobre o real potencial da descoberta no bloco BM-S-9, na bacia de Santos, na região conhecida como Carioca e que pode conter uma das maiores reservas de petróleo e gás do mundo, somente serão conhecidos após o fim do processo de avaliação da área, informou a Petrobras nesta segunda-feira.

Em comunicado enviado ao mercado após pedido de esclarecimento por parte da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a estatal informou que um segundo poço exploratório na região ainda está sendo implementado e não atingiu a camada do pré-sal, mesma faixa onde foi identificado o campo gigante de Tupi.

O pedido de esclarecimento da CVM foi feito após o diretor-geral da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), Haroldo Lima, ter afirmado no Rio que o bloco BM-S-9 poderia conter até 33 bilhões de barris de óleo equivalente (petróleo e gás), ou aproximadamente cinco vezes o tamanho de Tupi.

"A continuidade das atividades exploratórias inclui a perfuração de novos poços, teste de formação de longa duração e novos estudos geológicos para comprovar a abrangência da descoberta", disse a empresa no comunicado.

Segundo a Petrobras, o bloco conhecido como Carioca é composto por duas áreas exploratórias. Na maior delas, foi perfurado um primeiro poço que resultou na descoberta de óleo leve anunciada em setembro de 2007.

"Na ocasião, foi informado ao mercado que são necessários novos investimentos que contemplariam a perfuração de novos poços e cujo plano de avaliação está em fase final de elaboração e deve ser protocolado na ANP nos próximos dias", acrescentou a empresa.

O segundo poço começou a ser perfurado no dia 22 de março, disse a Petrobras.

(Reportagem de Marcelo Teixeira)